segunda-feira, abril 23, 2012

Vocês têm paciência para mais uma declaração de amor à capa de um livro da série Baby on Board? Não tenho filhos, mas adoro crianças (ainda estou na fase de amar muito as crianças dos outros. Seria uma mãe muito neurótica e louca...) e me apaixono pela capa – o que facilita a leitura da história.
Vamos nós para mais uma história onde um bebê realiza milagres...

Um amor em meus braços – Rebecca Winters – Harlequin Special 22 (Baby on Board)
(The duke’s baby – 2007 – Mills & Boon Romance)
Personagens: Andrea Fallon e Lance Malbois

Andrea tinha voltado à Bretanha para realizar a última vontade do marido, recém-falecido: mais algumas fotos, ela terminaria o livro sobre a lenda de Lancelot e Guinevere. No entanto, um homem estranho a surpreendeu e praticamente a expulsou do castelo Du Lac, até ambos descobrirem quem eram: ela era a viúva convidada do dono do castelo, que era o pai do homem malcriado, Lance Dubois. Do início meio desastrado, estabeleceu-se uma amizade e uma parceria: a viúva que não achava que poderia ter filhos estava grávida e sem marido; o homem que achava que nunca seria pai estava disposto a ajudá-la. Era apenas o ponto de partida de uma história improvável que poderia se tornar uma bela história de amor...

Comentários:

- Rebecca Winters tem um ritmo próprio de contar suas histórias. Elas costumam se desenvolver com mais calma que outras autoras. Nada é precipitado. Em dia estressado, é um ótimo “puxão no freio”. Aqui acompanhamos o desenvolvimento de uma história de amor entre duas pessoas magoadas, feridas e precisando de motivos para acreditar novamente em coisas boas. O bebê que Andréa espera, tão desejado durante o casamento, só veio depois que o marido morreu precocemente. O milagre dela afeta diretamente Lance, que sofria por não poder ter filhos (aliás, fiquei com uma dúvida sobre a causa da impossibilidade, achei que a tradução indica um problema que não é o que ele tinha) resolveu adotar mãe e bebê. Só que, no meio do caminho da felicidade deles, há uma série de traumas pessoais a serem superados, além de uma criatura insegura e doida que acreditava ter o direito divino de se casar com Lance e estava disposta a tudo (e vocês não tem idéia de como há criatividade naquela mente maligna) para tirar quem estivesse no seu caminho.

- Há várias referências à lenda de Camelot, através do amor proibido de Lancelot pela rainha Guinevere. E a descrição do cenário colocou minha mente para criar algo mais fantástico do que Avatar (que eu só conheço de comerciais, porque não animei em ver no cinema).

- É uma história sobre recomeço, esperança, milagres, não a toque de caixa, mas no ritmo necessário para que as pessoas compreendam os sentimentos e saibam lidar com eles. Sinceramente, gostei muito. Diferente das leituras que fiz antes desta.

ps.: A capa brasileira é muito mais fofa e no clima "Baby on Board" que a capa original (que não é feia, mas está em outro clima), né?


Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Mais que capa engraçada essa original!
    A mulher tá parecendo o homem da relação ;B A história não me animou, apesar de amar quando envolve bebês tb

    ;**
    www.livrosecitacoes.com

    ResponderExcluir
  2. Capas lindas, com cenas muitíssimo amorosas !!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Beta!

    Achei essa história meio assim, assim, se comparada a outras da Rebecca Winters, como Nosso Amor, por exemplo.

    Custei para chegar ao fim, não porque a história fosse ruim, mas por causa do ritmo lento.

    A capa brazuca é bem melhor. A da edição estrangeira não tem nada a ver com a história...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. a capa brasileira é bem mais fofa!!! Amo de paixão essa série da harlequin e esse tema, todo o amor e a histora que o bebe tras ao livro faz ficar uma história emocionante e meiga. Não da pra resistir, eses livro ta inclusive na minha listinha do sebo

    ResponderExcluir