sexta-feira, abril 20, 2012

Ciao!!!





Bem, todos já sabem que sou tiete de carteirinha assumida da Natalie Anderson. Os livros dela se tornaram leituras obrigatórias – e confesso que ainda tem alguns esperando na pilha. Então, que tal o lançamento de fevereiro dela pela Harlequin Brasil (porque teve mais livro dela em Abril)???

Coração Aventureiro – Natalie Anderson – Paixão 271 (Homens sem Limites)
(Walk on the wild side – 2011 – Mills & Boom Modern Heat)
Personagens: Kelsi Reid e Jack Greene

Kelsi seguia as regras e fazia o possível para levar uma vida certinha e correta. Até que o caminho dela cruzou com o de um homem que devia ser uma das explicações possíveis para grande tentação ambulante. Aí já viu, né? A moça certinha cedeu à fantasia de sair da linha... Só que algo não seguiu os planos e ela estava grávida. E se não fosse confusão suficiente, ganhou de bônus o futuro pai mais determinado em participar da face da terra. Jack queria estar perto, mas não contava com as reações imprevisíveis de Kelsi. E ela não saía da mente dele. Agora, a missão do homem que não tinha medo em descer as montanhas geladas era entender o que sentia e conquistar a garota...

Comentários:

Quem nunca se imaginou tendo um caso com um atleta campeão, bonito e famoso, não é mesmo?

Esta conjectura surreal e totalmente fictícia aparece logo na carta da equipe editorial da Harlequin Brasil... Tsc... Tsc...Tsc... Vamos ao livro, né?


- Ele, snowboarder na fase final de recuperação de um problema no joelho. Ela, webdesigner à beira de um ataque de nervos, tinha sido forçada pelos amigos e o chefe a ter um dia de folga e desfrutá-lo em um SPA.
No meio do caminho, a estressada Kelsi atropelou Jack. Com peso na consciência – e em pânico - tentou ajudá-lo. Ganhou uma companhia e perdeu o rumo do SPA. Aí já viu, né, espaço pequeno, adrenalina em alta... Os hormônios em fúria de ambos entraram em ação e antes que se dessem conta... nem vou contar, vocês vão ter que ler a cena.

- Os dois se separam e Kelsi volta relaxada para a vida dela e Jack viaja para retomar os treinos no Canadá. Só que ele não consegue esquecê-la e usa a contusão como desculpa para retornar à Nova Zelândia e procurá-la. O reencontro é estilo “abalou, abalou, sacudiu, balançou”, mas tire o cavalinho da chuva: não é porque Kelsi derrubou Jack na superfície sólida mais próxima e sim porque eles se deram conta de que a proteção pode não ter protegido... Voilà, bebê a bordo!

- Aí começa o momento que eu defini como “necessidade suprema de kabong!”. Para a turma que não tem a menor ideia do que estou falando (gente que não teve a infância nos incríveis anos 80), este é El Kabong:

 (na verdade, é a versão super-herói do Pepe Legal). Gente, chegou um momento que eu queria o violão pra sentar kabongadas na Kelsi. Gravidez não significa pane mental, né? (*expectativa de quem ainda não teve filhos*) Por que eu quero entender... mais que isso, eu PRECISO entender a Kelsi! Ok, ela lida com sérios problemas de autoestima: sabe pessoa que não se aceita de jeito nenhum? É ela. Entendo a pressão a que esteve submetida (e a pior de todas, a pressão a que ela se submeteu) por conta dos problemas familiares e da decepção com o pai (ficar sempre esperando por algo ou alguém que não vem é horrível). Entendo que ela não quer confiar em ninguém porque só conheceu decepção...


- Aí ela reencontra com o Jack, descobre que terá um bebê, PIRA NA BATATINHA e fica incomodada porque Jack quer estrar presente o tempo todo, ajudando, acompanhando, marcando médico – o cara largou o treinamento para os Jogos Olímpicos de Inverno para estar ali no início. E Kelsi pira! Oi? Alguém situa a moça da triste vida das grávidas por acidentes dos nossos livrinhos (pensei em empacotar uns livros da Lynne Grahan, Penny Jordan, Diana Palmer para que ela tivesse alguma noção da realidade e dar graças a Deus pelo Jack)..


- Vindo diretamente da Ilha da Fantasia da Natalie Anderson (aquele lugar lindo onde os homens são todos espetaculares), temos o herói do livro: Jack é lindo, é fofo, é gostooooooooooooso pra chuchu chuá chuá uhu... E isso tudo é ainda melhor quando a gente passa a primeira impressão do “atleta campeão corajoso que vence o medo”. Ele é carinhoso, ele quer cuidar dela. Embora ainda não consiga definir o que sente por Kelsi, ele faz o entorno tão bem que você percebe que ali vai dar namoro logo, logo, pelo menos da parte dele. Aí é rezar para as kabongadas em Kelsi fazerem efeito pra ela entender que tirou a sorte grande, mandar as dúvidas pra escanteio, parar de querer saber se casa ou se compra uma bicicleta e agarrar Jack pra ela.

- E como estou numa época de recordação da minha paixão por músicas italianas, ouvi que uma gosto muito de novo há pouco tempo e acho que caberia muito bem nesta trama: Sere Nere, Tiziano Ferro.

- Tem informações sobre o livro no Fantastic Fiction e no Good Reads (com reviews da Nicola Marsh e da Trish Wylie). Além disso, vale visitar o site oficial e um blog, página do livro,. Se quiserem, também é possível saber como segui-las nas redes sociais. :D

Bacci!!!

Beta
Reações:

3 comentários :

  1. Ela não merece ele...ele tinha que ficar comigo...alguém tem que falar isso pra ele......kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    bjoss
    adorei a resenha

    ResponderExcluir
  2. Apaixonar-se por quem atropelou você ?! Isso que é paixão de impacto !!! Eu tive minha infância nos duplamente incríveis anos 70, mas conheço El Kabong Pepe Legal !!! ^^ Ah, eu queria ter chefe e colegas para obrigarem-me a tirar folga em um SPA !!! ^^ Pena, mas grávidas não têm dificuldade em livros de Diana Palmer e Linne Graham e Penny Jordan apenas: muitas comem pães amargos de verdade mesmo ! Então como é que ela endoidece desse jeito com um Jack desse naipe ???!!!

    ResponderExcluir
  3. ai gente que tudo esse livro, aposto que vai ter aqueles momentos ternurinha e seus momentos mais hilarios e que com certeza vai levar o leitor a rir, vou marcar esse que quero no sebo

    ResponderExcluir