sábado, abril 30, 2011






Encerrando o Abril Imperdível e o Sábados com Nora Roberts com chave de ouro. É o quarto livro da série Stanislaski, o último que veio na caixa vendida pela Harlequin no Natal. Cronologicamente encerra uma etapa da trama, que ainda ganha mais dois capítulos em livros já publicados (mas difíceis de encontrar: tenho um e me falta o outro).

Um Amor a Despertar: Alex – Nora Roberts – Harlequin Books (Irmãos Stanislaski)
(Convincing Alex – 1994)
Personagens: Bess McNee e Alexi “Alex” Stanislaski

Alexi pensou que havia prendido uma prostituta e se deparou com uma escritora esperta, inteligente e de raciocínio rápido. Ela estava fazendo pesquisa para escrever o cotidiano de personagens de uma badalada telenovela. Ele estava envolvido na investigação sobre um serial killer que já havia assassinado duas prostitutas. Ou seja, eram duas pessoas totalmente incompatíveis... Ainda mais porque, agora, Alexi tinha que ser babá, digo, cicerone da autora, o que significava apresentar a rotina da polícia para ela. E bem mais que ambos poderiam esperar...

Comentários:

- “Alex apenas suspirou e colocou o papel na máquina de escrever.” – Confesso que levei o maior susto quando ouvi a menção à máquina de escrever no prólogo que coloca os protagonistas frente a frente. Pobre polícia de NY, em pleno 1994 ainda não tinha computadores. Dá pra entender porque é tão difícil para eles combater o crime!!!

- Não sei se alguém quer saber, mas este é meu livro favorito da série. Primeiro porque eu também adoraria ser uma escritora – ou pelo menos trabalhar com a pesquisa para alguma autora (se alguém quiser escrever sobre os bastidores do Real Madrid, por exemplo, me chama que eu vou... Me ofereço para o sacrifício de ter quen conviver com eles para o melhor resultado do livro). Segundo porque a incompatibilidade dos dois é tão grande que dá para notar que quando chegar a hora da compatibilidade vai ser de abalar o mundo...

- É muito legal ver o mais desconfiado dos Stanislaski finalmente encontrando uma “mulher com cérebro” – como já havia sido profetizado em um dos livros anteriores (acho que no de Rachel). Espirituosa e imprevisível. Com a inacreditável capacidade de desarmar qualquer um, por mais duro que seja. Bess tinha sofrido complexo de patinho feio, até aprender a lidar com ele e se impor diante dos outros. Desta forma, conquistou a liberdade para ser quem quisesse e agir como quisesse. Até mesmo quebrando os padrões, parecendo ser uma noiva volúvel em série que nunca subia ao altar. Tem humor e tem suspense. E o relacionamento do casal é mais importante do que o lado policial – por isso, não espere profundidade sobre o serial killer do livro (Nora guarda o know-how sobre isso para a série Mortal).

- Claro, temos a tradicional cena – esta, sim, presente em todos os livros – do encontro familiar dos Stanislaski. E para quem lê na ordem cronológica – Natasha, Mikhail, Rachel e Alexi – é muito interessante ver como os encontros ganharam mais participantes, todos devidamente encantados pelo relacionamento entre os integrantes da família.

- Resumindo, para os fãs de Nora ou quem adora histórias familiares, é uma excelente pedida. E ainda há duas histórias de herdeiros da família: Waiting for Nick (Esperando o Amor) e Considering Kate (Dança da Sedução), o único deles que eu ainda não li. No site Nora Roberts Brasil há mais detalhes sobre os dois livros.

- O site oficial da Nora vale a visita..

Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Eu estou ficando interessada mesmo por essa família ucraniana tão amorosa e tão unida ! ^^

    ResponderExcluir