sábado, abril 23, 2011





Voltando à série Stanislaski, vencedora da votação do Abril Imperdível, chega a hora de conhecermos o que Nora Roberts (ou aquele monte de escravos que ela têm no porão) inventou para a caçula das irmãs da família ucraniana, que se dedica à Justiça.

Um Amor a Defender: Rachel – Nora Roberts – Harlequin Books (Irmãs Stanislaski)
(Falling for Rachel – 1993)
Personagens: Rachel Stanislaski e Zachary Muldoon

Rachel tinha um fraco por adolescentes desajustados com olhos tristes. Isso fez com que ela simpatizasse com o seu cliente daquela noite, Nicholas LeBeck. E nem toda a experiência com os casos difíceis que é obrigada a lidar como defensora pública a preparou para o envolvimento com o adolescente confuso e o meio-irmão, Zach, disposto a tudo para evitar que Nick fosse para a cadeia. Zach e Nick não sabiam, mas ao entrar em contato com um integrante da Stanislaski, era absorvido por todos os outros. O que significa carinho, mas também muita implicância – experimenta ser a caçula e ter dois irmãos mais velhos para ver o que acontece. E na jornada para evitar que Nick siga pelo caminho errado, Zach e Rachel se aproximam e precisam lidar com estes sentimentos e as conseqüências deles.

Comentários:

- O livro aqui começa diferente. Não tem o que parecia ser “tradicional” flashback, ainda mais porque Rachel é a única Stanislaski nascida nos Estados Unidos. Por isso, a história já começa quente, mostrando um dos personagens principais da trama – que afinal de contas gira em torno da reabilitação e do destino de Nick.

- Como é bastante repetido na série, Rachel cresceu ouvindo a história da fuga da Ucrância e da perigosa travessia rumo à liberdade De tanto ouvir, decidiu lutar por justiça e liberdade, atendendo como defensora pública àqueles desvalidos que dependiam de assistência jurídica (mesmo que muitos pareçam não merecer). Nestas idas emergenciais à delegacia, recebeu o caso de Nick LeBeck, jovem envolvido com uma gangue, pego enquanto roubava uma loja. Para este trabalho, Rachel precisaria de paciência e desenvoltura para lidar com Zachary Muldoon, meio-irmão de Nick LeBeck, ex-marinheiro irlandês, dono de um bar. Em uma decisão exótica da juíza responsável pelo caso, Zach se responsabilizaria por Nick e Rachel deveria acompanhá-los e enviar relatórios semanais sobre o progresso do garoto, antes do julgamento definitivo.

- Pegue uma apaixonada advogada de origem ucraniana (e com uma família estruturada e feliz), acrescente um adolescente confuso com olhos tristes e um meio-irmão irlandês que queria cuidar dele. Pra completar, os dois estão atraídos por ela, que pensa conseguir lidar com ambos. Já viu que vai dar muita confusão, né? Nunca imaginei que misturar uma ucraniana (o fato de não ter nascido no país é mero detalhe) com um irlandês fosse dar tanto balacobaco. Ainda mais porque é mais um no pé dela querendo protegê-la como se ela fosse de cristal, como se não bastasse Mikhail e Alex. Rachel é forte, batalhadora, decidida, sem as frescuras e bobagens que muitas heroínas aparecem para nos irritar... E sem contar que a família dela ganha fácil qualquer premiação de simpatia e fofura – e dá vontade de fazer parte, como os meio-irmãos vão sentir na cena da visita.

- Enfim, a série continua naquele ritmo cativante e que te prende, bem típico de Nora e já me dá tristeza porque, agora, só falta o livro de Alex, que terá a missão de encerrar os “Sábados com Nora Roberts” e a maratona de postagens do Abril Imperdível. Pouquinho, né?

- O site oficial da Nora Roberts vale a visita.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Roberta seu blog ta lindo e as resenhas otimas tem selinho pra vc no meu blog bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu votei naquela família irlandesa mas tenho de admitir que essa família ucraniana está mostrando-se muito interessante ! ^^

    ResponderExcluir