domingo, outubro 17, 2010

Ciao!!!


Voltamos à série Donos do Mundo. A resenha do primeiro livro, com duas histórias, está aqui. E lá vou eu, não querendo, mas sendo chata. Estou MUITO feliz porque a série está sendo publicada na íntegra e de um jeito muito legal: duas histórias por vez. Poupa tempo e sofrimento esperando... mas... (é, tinha que ter um “porémzinho”): a ordem das histórias está invertida! Quem pegar este livro e não quiser atropelar a cronologia da série, deve ler primeiro a segunda história: Devoção Total, de Maya Banks. Aí sim, retorna e lê a primeira, Regra do Coração, de Michelle Celmer. Devo ressaltar que fui avisada pela Andréa, que não teve a mesma sorte e só percebeu a confusão quando já não era possível remendar o estrago. Por isso, farei as resenhas na ordem da série (só reforçando, inversa ao que foi publicado no livro).



Devoção Total – Maya Banks – Harlequin Dueto 18 (Os Donos do Mundo v.2)
(Billionair’s contract engagement – 2010 – Silhouette Desire)
Personagens: Celia Taylor e Evan Reese

Celia lutou para ser a indicada pela Maddox Communications para conseguir a conta da empresa de material esportivo de Evan Reese. Ela havia elaborado uma estratégia impecável e sabia que tinha grandes chances de vencer a disputa. No entanto, a forte atração entre eles era um obstáculo que teria que enfrentar, afinal de contas, todos consideravam que ela usava a beleza e a sedução para subir na carreira. E Evan queria unir o útil ao agradável: aceitaria ouvir a proposta, desde que ela o acompanhasse a um evento da família e aceitasse se passar por sua noiva. Claro que o falso noivado se torna um caso clandestino, o que só vai complicar o pessoal e o profissional ainda mais quando vir à tona...

Comentários:

- Não posso mentir que esta deve ser a minha história favorita da série. Por mexer em temas tão próximos a mim: esporte e discriminação no trabalho. Celia é uma mulher bonita, jovem e bastante profissional. Isso somado à inveja, fez com que ela conseguisse olhares tortos no trabalho e se vir envolvida em uma confusão. Desgastada e chateada, trocou de cidade para recomeçar a vida. Nesta nova etapa, seu caminho e o de Evan Reese se cruzaram. Desta vez, a atração é mútua e Célia sabe que há muito mais em jogo para ela que para ele: os homens sempre são perdoados, mas a sociedade é impiedosa com as mulheres, dando-lhe rótulos baseados em boatos (como no caso do livro). Mesmo assim, ela decide arriscar.

- Não posso deixar de ressaltar os “homens legais” deste livro. Brock Maddox, o chefe workaholic , acreditou em Celia desde o primeiro minuto e a apoiou mesmo quando a boataria contra o nome dela estava a todo vapor. A família de Célia comprou a briga por ela (os três irmãozinhos – Adam, Dalton e Noah – e o pai são figuraças. Aliás, os rapazes mereciam seus próprios livros, só pra gente ter o gostinho de ver outras vezes essa família).

- E Evan não é um homem a quem uma mulher sensata diria “não!”. Como se não bastasse ser bilionário, ainda é lindo, charmoso, simpático, sedutor. E ele desejava Celia e gostou muito do tempo que passaram juntos fingindo serem noivos (afinal de contas, precisava mostrar à família que superara o “trauma” de ter perdido a noiva para o irmão, indo ao casamento deles e desejando felicidades). Ainda sem perceber que estava apaixonado, Evan queria assumir o relacionamento com Celia, mas não conseguia entender por que ela era tão reticente. Só quando o pior aconteceu é que ele foi capaz de entender o lado dela. E aí, partir para a briga para defendê-la.

- Este livro deixa no ar algo importante: há alguém infiltrado por Atos Koteas na Maddox Communications. Mas quem seria o traidor? Sinceramente, já estou tão tiete da série que quero ajudar a matar esse(a) infeliz quando for descoberto(a).

- Se ficou curiosa sobre Maya Banks, vale visitar o site oficial dela.



Regra do Coração – Michelle Celmer – Harlequin Dueto 18 (Os Donos do Mundo v.2)
(Money man’s fiancée negotiation – 2010 – Silhouette Desire)
Personagens: Melody Trent e Ash Williams

Finalmente Ash descobrira o paradeiro de Melody, a namorada que o abandonara dois meses antes sem explicações: estava em um hospital de Abilene, se recuperando de um acidente. Ao se apresentar como noivo, soube que ela esteve grávida e perdeu o bebê no acidente. Para piorar, acordou com amnésia. Isso atrasou os planos de Ash, de seduzi-la e abandoná-la. A convivência durante a recuperação apresentou a Ash uma Melody diferente da que ele conhecia: não tão confiante sexualmente, mas mais disposta a um relacionamento concreto do que o que eles tinham antes. Ainda assim, Ash, antes de terminar o relacionamento, queria descobrir quem era o pai do filho que ela esperava, já que ele não poderia ser...

Comentários:

- O personagem Ash representa bem os defeitos do signo dele (Capricórnio – nascido em 1/1/1975 – antes que me xinguem, lido diariamente com uma capricorniana e também sei as virtudes, mas o Ash não se deu conta disso): teimoso e obtuso. Ele queria se vingar do abandono de Melody, mesmo diante do relacionamento “conveniente” para ambos (aquela coisa básica de que homem nunca deixa a mulher terminar o relacionamento). Nem ao encontrá-la ferida e desamparada, mudou de idéia. O orgulho ficou ferido ao saber que ela esteve grávida e ter a certeza de que não era o pai, por causa de uma doença que teria causado a infertilidade (é incrível que no livro eles sempre têm a certeza, até decidir ir ao médico lá nas páginas finais e descobrir que a certeza não era tão certa assim... E pena das pobres mocinhas que comem o pão que eles amassaram até vir um pedido de perdão meio fajuto nos parágrafos finais e a felicidade eterna após o ponto final). Ash não desperta nenhuma piedade em mim, confesso que virei todas as páginas esperando pelo momento glorioso onde ele quebraria a cara!

- Há males que vêm para bem, não é o que dizem? Melody interpretava tão bem uma personagem que se convenceu de que era feliz no papel. Mas o acidente e amnésia a forçaram a entrar em contato, entender e processar sentimentos que ela preferia ignorar (mesmo com as atitudes de Ash para impedir que ela recuperasse rapidamente a memória – siiiiiiim, ele foi capaz disso!!!). A partir daí, ela pode superar os traumas do passado e emergir bem mais forte, sabendo que não precisaria de ninguém para cuidar dela, porque seria capaz de fazer isso sozinha. Claro que seria melhor se Ash estivesse ao seu lado, mas eles tinham pendências a respeito de “confiança” para resolver antes do happy end.

- Outras informações sobre Michelle Celmer, visite o site oficial dela.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Essa é uma série q gosto muito, mas que não tenho.

    Adoro 'donos do mundo'. Homens no melhor estilo macho-alfa, ricos e poderosos, hahhaa.

    Quem não quer, um cara protetor? E de quebra milionário??

    Pena que aqui em DD não tem ninguém no estilo rs

    bjsss

    ResponderExcluir
  2. "Regra do coração"
    Linda essa estória, bem escrita, a narrativa apesar de se tratar de uma baita DR não foi cansativa. E foi lindo ver o reconhecimento do amor entre o casal que já estava se perdendo. Na verdade o casal tinha uma bagagem negativa grande pelo passado de suas famílias que interferia na relação atual.

    ResponderExcluir