domingo, setembro 05, 2010

Suspeito que não exista um livro ruim na série Baby on Board. Sério. Não bastasse ter aqueles bebês na capa que já amolecem qualquer coração – mesmo aqueles que entram em pânico à menção de “instintos maternais”, até agora li histórias que me fazem querer mais... E imagina quando tem italiano no meio? Aí já viu, né? Chance de momentos fofuras tamanho monstro...

Herança do Amor – Lucy Gordon – Harlequin Special 13 (Baby on Board)
(Italian tycoon, secret son – 2009 – Mills & Boon Romances)
Personagens: Mandy Jenkins e Renzo Ruffini

Mandy se assustou com aquele homem descarado, um tanto inconseqüente e bastante lindo e atraente que invadiu seu quarto à noite, para fugir de um marido ciumento (ele não sabia que a “amiga” era casada, oras!). Da provocação, brigas, discussões, Mandy pode conhecer melhor Renzo, que seria o guia substituto naquela escalada nas montanhas geladas... E o que era para ser diversão acabou em tragédia por causa de um irresponsável. Dois anos depois, Mandy descobre que, ao contrário do que pensava, Renzo havia sobrevivido e viaja à Milão para reencontrá-lo. No entanto, ele tinha falhas de memórias, entre outras seqüelas do acidente, e Mandy teria que conquistar a confiança dele antes de revelar que ele tinha um filho e descobrir se haveria chance para todos eles se tornarem uma família.

Comentários:

- O livro começa chamoso e bem humorado, passeia pelo drama para contar uma história de recomeço. A primeira impressão entre Mandy e Renzo não foi a mais animadora possível. Afinal de contas, nada contra um italiano invadindo seu quarto à noite, a menos que seja um daqueles conquistadores inverterados. As provocações entre eles variam da vontade de espezinhar ao charminho e à oportunidade de descobrir mais um sobre o outro. Até que o acidente os separa...

- Dois anos depois, Mandy vai à Milão reencontrar Renzo e se surpreende. Ele não é o mesmo homem charmoso, galanteador e despreocupado que ela conhecera e por quem se apaixonara. Mas a conexão entre ela e ele ainda existe – e ajuda Renzo a recuperar as memórias que considerava ser apenas um sonho de uma época ruim de sua vida.

- Juntos, eles superam o trauma do acidente. Voltam a se entender quase como antes. A mesma química está lá. Ainda existe alguma desconfiança – natural e compreensível diante da situação. É muito legal vê-los se aproximando, se apaixonando e se amando novamente e entender que Renzo ganhou uma família e aprende a lidar com isso, afinal de contas, ele era um solitário - ninguém poderia imaginar que aquele rapaz charmoso e galanteador do início do livro tinha uma história tão intensa de rejeição para superar de vez. Para sorte dele, de Mandy e a nossa, é uma história que terá final feliz. E deixará ótimas lembranças em seus leitores.

- E eu estava com saudades dos livros desta autora. Fazia tempo que não pegava algo com italiano onde ele não fosse um mala sem alça vingativo e juiz e carrasco ao mesmo tempo. Muito bom saber que existem opções melhores de passar meu tempo...

Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Também adorei este livro, principalmente quando mostra um italiano não sendo tão arrogante. Lindo livro.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, Beta: até agora não li nenhum livro ruim desta série.

    Fiquei emocionadíssima quando li este livro. Achei terno, espirituoso e de muita sensibilidade.

    Vale a leitura, pessoal!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Ciao, Ili!

    Se não me engano, esta autora é cada com um italiano, então ela deve saber do que está falando. Afinal de contas, não é possível que só exista italiano mala no mundo!!!
    O livro é mt fofo e totalmente recomendado!

    Bacci!!!

    ResponderExcluir
  4. Ciao Andrea!

    Como já está ficando repetitivo, não consigo resistir a um "Baby on Board" e por enquanto está valendo a pena. :)

    Bacci!!!

    ResponderExcluir