quarta-feira, agosto 18, 2010

Ok, eu sei que o tempo passa, o tempo voa, mas ajudaria um pouco "estar ligada no planeta" e não no próprio umbigo, né?

***

Fonte: Jornal Hoje em Dia


Estudantes americanos acham que Beethoven é um cão e Michelangelo, um vírus

Criada para lembrar às autoridades como as referências culturais se perdem rápido, a lista Mindset agora é anual e demonstra conhecimentos de uma geração

AFP - 17/08/2010 - 21:39

WASHINGTON - A maioria dos americanos que está prestes a entrar na universidade não consegue escrever em letra cursiva, acha que o e-mail é lento demais, que Beethoven é um cachorro _ o do filme -, Michelangelo, um vírus de computador, revelou um estudo divulgado nesta terça-feira (17) nos Estados Unidos.

Para os estudantes que se formarão em 2014, a Tchecoslováquia nunca existiu, Clint Eastwood é um cineasta que nunca interpretou "Dirty Harry" e John McEnroe é garoto propaganda que nunca pisou numa quadra de tênis, segundo as respostas de uma pesquisa feita por acadêmicos da Universidade de Beloit.

A lista Mindset (modo de pensar) foi compilada pela primeira vez em 1998 a partir de perguntas feitas à geração que se formaria em 2002, pelo professor de Humanidades Tom McBride e o ex-diretor de relações públicas Ron Nief, da Universidade Beloit.

Criar a lista levou um ano, durante o qual Nief e McBride coletaram contribuições externas, estudaram minuciosamente jornais, trabalhos literários e a mídia do ano de nascimento das pessoas que entraram na universidade em agosto ou setembro, início do ano letivo nos Estados Unidos. "Em seguida, apresentamos as ideias a todos os jovens de 18 anos de quem conseguimos chamar a atenção", explicou Nief à AFP.

O objetivo era lembrar às autoridades educacionais como as referências culturais se perdem rápido, mas acabou se tornando, rapidamente, uma popular lista anual que demonstra os conhecimentos de uma geração. Os nascidos em 1980 acham que só houve um papa, João Paulo II, que assumiu em 1978 e morreu em 2008.

Para os que chegaram ao mundo em 1981, a Iugoslávia nunca existiu. Eles não entendem por que se escreve com letra maiúscula o nome do sindicato Solidariedad, único independente na União Soviética e que conseguiu terminar pacificamente com o comunismo na Polônia, em 1989.

Os que nasceram em 1984 não tinham ideia de que algo como o apartheid existiu na África do Sul. Enquanto para os que hoje têm 29 anos, Mike Tyson foi "sempre um delinquente", os que são cinco anos mais velhos consideraram o boxeador "sempre um competidor".

"Há dois anos, havia alguns estudantes que (disseram) que aprenderam datilografia em uma máquina de escrever", enquanto agora há alguns de 30 anos que não sabem que a IBM foi fabricante de máquinas de escrever, disse Nief.

Para os alunos secundaristas que se formam este ano, a Alemanha nunca foi dividida, os atletas profissionais sempre competiram nos Jogos Olímpicos, os "reality shows" sempre existiram na televisão e as companhias aéreas jamais permitiram fumar a bordo.
Reações:

4 comentários :

  1. Vivemos criticando o nível de escolaridade dos brasileiros. Mas está aí uma prova de que os americanos não ficam atrás, olhando para o próprio umbigo acabaram ficando por fora de tudo.
    Belo post!
    -Profex

    ResponderExcluir
  2. Cruzes! Isso me lembra um filme que vi há muito tempo chamado "Idiocracy".

    Era uma comédia em que um sujeito de inteligência mediana foi congelado por um grupo de cientistas que queriam fazer o seguinte experimento: "acordá-lo" algumas décadas a frente e ver como um sujeito como aquele se sairia em uma sociedade futura, onde a tecnologia estaria muito mais avançada e com isso as pessoas ficariam muito mais inteligentes.

    Ocorre que quando ele "foi acordado", o mundo estava povoado por um bando de idiotas, que não sabiam nem o que era um livro, que assistiam a "bobeiróis" na TV o dia inteiro sentados em uma poltrona que era acoplada a um vaso sanitário (para não precisarem nem levantar), comendo batatas fritas e bebendo um isotônico de uma grande corporação que dominava aquele mundo imbecil.

    O resultado era que usavam o isotônico para tudo, inclusive para regar as plantações e então houve uma crise alimentar, já que as batatas estavam acabando e não conseguiam fazer a plantação prosperar!

    E quem foi salvar o mundo? O cara da inteligência mediana que naquele mundo futuro era gênio e descobriu que era só regar com água e ainda foi perseguido pelo dono da corporação, que achava que se as pessoas consumissem a água os seus lucros iriam cair!

    Não sei, não, mas acho que é para lá que caminhamos...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ciao, Blog do Profex,

    Pelo que a gente percebe em notícias superficiais vindas dos EUA, eles não têm a menor noção de outra coisa que não seja o próprio país. Por isso, se baseiam em estereótipos para julgar os outros (chovem exemplos disso em filmes de Hollywood).
    O fato é que pessoas que lêem e sempre buscam se informar fogem deste padrão de ignorância...

    Bacci!!!

    ResponderExcluir
  4. Ciao, Andrea!

    *muito medo* desta gente que não quer saber de nada. Minha irmã é professora e me contou que após dar uma aula sobre um dos quadros inspirados na Revolução Francesa, "A morte de Marrat", um aluno perguntou se era a inspiração da música do Black Eyed Peas, "My Humps" (que ele cantava marrá marrá marrá marrá...)

    Socorro!!!

    ResponderExcluir