sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Apesar do recente surto espanhol, que acometeu as minhas mais recentes compras, não resisto quando vejo um livro com herói (ou não) italiano. E finalmente, achei um que não se passa na Sicília (apesar da geografia não mudar o caráter padrão do personagem), que tem o patinho feio em uma grande confusão.

O Valor do Sonho – Michelle Reid – Paixão 134
(The de Santis Marriage – 2008 – Mills & Boom Modern Romance)
Personagens: Elizabeth “Lizzie” Hadley e Luciano de Santis

Lizzy viajou para Milão para acompanhar o casamento de Bianca, de quem era a melhor amiga-capacho, com um poderoso banqueiro italiano, Luciano de Santis. Mas uma grande confusão acontece – a noiva foge com o irmão de Lizzy, que é intimada pela família de Bianca a avisar ao noivo abandonado. E como antiga-mente, o mensageiro paga o pato, porque Luciano nem pensa duas vezes e a obriga a se casar com ele. Em um tempo rápido demais para que compreendesse, Lizzy se viu casada contra a vontade, desejando contra a lógica o marido que a chantageou e não perde uma chance de provocá-la, intimidá-la e humilhá-la. E claro, numa situação dessas, as coisas sempre podem piorar...

Comentários:

- Ainda espero por um italiano legal em algum livro. Não irrealmente legal, simplesmente, normal. São todos irritantes, grosseiros, ríspidos, arrogantes. Eu sei que eles não são santos, mas todo esse poço de defeitos em altíssima dosagem, ninguém merece. E os melhores momentos do pior de Luc tiram até Dalai Lama do sério! Olha só (ordem cronológica):

1. Luc chantageia Lizzy – ou ela se casa ou ele revela que Matthew (irmão dela) desviou dinheiro da empre-sa do pai para fugir com Bianca.

2. Quando a bomba explode (a fuga de Bianca), a versão pública é de que Matthew é o salvador da pátria da donzela traída, Bianca; Luc se tornou o modelo de homem na opinião do pai de Lizzie e Matthew. Lizzy? Adivinha: se tornou a amiga falsa e destruidora de casamentos. E quando ela reclama de que era a inocente pagando pelos pecados alheios, Luc simplesmente riu na cara dela!

Pausa para uma explicação necessária pra entender o próximo item: Por duas vezes, ao saber do casa-mento e na cerimônia, o pai de Lizzy joga na cara dela que ela está bela como a mãe. E acreditem: isso não é bom sinal – a mãe dela se envolveu em um escândalo extraconjugal com um político da região onde eles viviam...

E vamos ao item 3. Luc pergunta o motivo da rejeição paterna, ela explica... e não é que ele acha um jeito de jogar a rejeição do pai na cara dela?

4. Pós-noite de núpcias: o AUGE do repertório de Luc. Nem vou contar para não irritá-los antes de vocês lerem (siiiiim, quero companhia no pecado da ira). O fato é que Lizzy tenta se impor e dá o ultimato: “Faça com que eu sinta vergonha mais uma vez e acabo com esse casamento seja lá qual for a ameaça.”

5. No Caribe, na lua de mel, Lizzy e Luc encontram um casal conhecido dele. A mulher faz insinuações maldosas (a tal ponto que deixam de ser indiretas e viram “diretaças”), Lizzy se defende e Luc fica calado!

6. Lá pelas tantas, Luciano protege a família dela. Lizzy, emocionada, diz que o ama. E a resposta? “Gratidão amorosa da minha maior crítica. Quase valeu a pena.” Dez palavras. Duas frases. O suprassumo da eficiência ao arrasar os sentimentos alheios.

Melhor parar, né? Ah, sim, outra menção honrosa para o pai da Lizzy. Não o vi se desculpar pelo preconceito e da rejeição contra a filha. Sinceramente, ignorava os dois pra sempre. O mundo é bem maior que ambos. Mas eu não sou heroína romântica. Por isso, vocês podem imaginar o desfecho da história. O livro não seria ruim, se não fosse tão heroína-capacho-por-causa-dos-outros. E até entendo que Lizzy não tem como se impor em meio a tanta gente dominadora. E acho que, lá no fundo, Luciano realmente passou a gostar dela, no meio da punição pela atração que ela o fazia sentir, só não sei se eu acreditaria nisso...

Bacci!

Beta
Reações:

7 comentários :

  1. Beta, posso recomendar dois mocinhos italianos e muito decentes para você (embora eles tenham o defeito de não falarem tanto o que sentem): Dante D'Alessandro, de "Partilha do amor (Helen Bianchin)", e Leonardo Parini, de "Casamento em perigo (Miranda Lee)". Aliás, italianos decentes não é bem o problema, até dá para achar. O problema mesmo são espanhóis e gregos: esses é que têm tendência a serem precipitados, cruéis e orgulhosos. Até hoje os melhores que vi são nos livros de Helen Bianchin, e gostaria de saber se alguém lembra de mais algum. Abs, Renan.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Beta!

    Já li esse livro e a minha vontade foi jogá-lo na parede. Mais uma sofrerina boboca, como diz nossa colega de blog... Dai-nos paciência!

    Bem, como o Renan falou em gregos precipitados, cuéis e orgulhosos, hoje li um livro que tinha um fora do padrão (claro que ele não é perfeito, mas tem a vantagem de não ser tão arrogante assim (quando foi, tinha uma boa causa a defender), perceber as sandices sozinho e consertar rápido as próprias burradas e a heroína não é tão tonta assim. O livro é Rumos do Coração - Annie West - Jessica 2 histórias nº 118 (não se preocupe e procurá-lo, ele vai na remessa de março. A outra história é da Kim Lawrence e tem sheik para o seu deleite viu, Beta!).

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Renan está certo: Leonardo Parini é um italiano decente - e um dos melhores mocinhos de Miranda Lee. E a mocinha nem é 'abnegada'.

    Enfim, não vou muito com a cara de Michelle Read, desde o tal "De Repente, Pai". Fiquei com má impressão dos livros dela. lol Ainda mais com um mocinho desses, que faz a linha "alguém pega e faz esse homem sentir muuuuuuuuuuita dor".

    ResponderExcluir
  4. Oii,
    Achei seu blog incrivel, muito lindo! ^.^
    Também tenho um que falo sobre livros: Uma Janela Secreta.
    O link é:
    http://www.umajanelasecreta.blogspot.com

    Ahh... Gostaria de te convidar para participar da segunda promoção do Uma Janela Secreta, o livro é: A esperança tem muitas faces. Gostaria que desse uma força =)

    O link é:
    http://umajanelasecreta.blogspot.com/2010/02/promocao-esperanca-tem-muitas-faces.html

    Bjoo!

    ResponderExcluir
  5. Amei este romance. Ele é cheio de mistério. No final, descobrimos que a Bianca não o abandonou, ele que terminou com ela e fingiu que foi traído e abandonado para ficar com a Lizzie. Ele confessa que se apaixonou por ela desde o primeiro olhar que trocaram. Ele armou toda a situação quando teve a certeza que Lizzie também o queria quando dançaram e ela perde a noção de tudo e o lambe no pescoço. Rs... Muito bom! Dá para imaginar a cara de susto dela ao perceber o que fez. E aí começa toda a trama que ele arma para ficar com ela. Luc não revela seus pensamentos, mas podemos perceber o quanto ele a quer nos pequenos gestos e detalhes. Quando ela chega para entregar a carta, eu percebi que o plano era este. Muito bem construído e com um final maravilhoso!
    Já li este romance mais de uma vez. Entendo quem não goste. Mas penso que vai da interpretação. Vi em Luc, um homem que arriscou seu orgulho e reputação pelo VALOR DO SONHO.

    ResponderExcluir
  6. Beta, li todos os seus comentários e respeito, mas a minha interpretação para todos eles... é outra. Um Exemplo: item 2; quando ele ri; veja que você não colocou até o final quando a Lizzy diz : "Bom o bastante para reconhecer seu erro na escolha da noiva e arrogante o bastante para prender aquela que resolveu ter!" Aí ele riu. Veja a minha interpretação: ele riu porque ela disse a verdade, acertou em cheio!!! Ele descobriu que cometeria um erro ao casar com Bianca porque amava Lizzy. É isto que amo na Michelle Reid, ela deixa a coisa no ar. E cada vez que releio este romance descubro algo mais.

    ResponderExcluir
  7. Olá Beta,

    Eu amei esse livro da Michelle Reid. Algumas vezes tive vontade de dar uma surra no Luc, mas tudo bem srsrsrs.
    Beta eu também tenho um blog com romances de banca. Se você puder me dar uma forcinha agradeço.

    Beijos

    http://romancedebancadigital.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir