sexta-feira, janeiro 15, 2010


Problemas de família que acabam prejudicando os mais inocentes. Em sede de vingança, os mocinhos não medem esforços. No entanto, quando se derem conta, pode ser tarde demais. São duas tramas que partem deste princípio, mas seguem rumos bem diferentes.



Acordo Sedutor – Emma Darcy – Jéssica 2 Histórias 93
(Bought for revenge, bedded for pleasure – 2008 – Mills & Boon)
Personagens: Sally Maguire e Jack Maguire

A morte do pai levou Jack de volta à Austrália, para onde ele prometera retornar quando fosse para assumir o que era seu de direito. E se vingar da mulher que o destituíra da vida que deveria ter sido sua. Ele só não contava que se sentiria atraído pela irmã adotiva. Sally ficou surpresa com a proposta de Jack: administrar a casa da família e recebê-lo com um sorriso e um martini. Se conseguisse mais que isso, não se sentiria insatisfeito. Apesar de Sally saber que seria arriscado, não conseguiu controlar a paixão por Jack. E ambos teriam que lidar com as conseqüências disso...

Comentários:

- Confesso que só comprei este livro por causa da segunda história. Talvez por isso não havia tanta pressão para esta trama. Mas eu fiquei com a sensação de algo faltando. Havia vingança, vilã interesseira, vítimas inocentes e herói justiceiro. Não sei o que faltou para ganhar a minha atenção, talvez tenha sido a compa-ração com tramas explosivas (para bem e para mal) com os mesmos ingredientes.

- Mocinha patinho feio, irmã adotiva patinho feio e tímido – ninguém merece a mãe adotiva delas, vaidosa, interesseira e gananciosa. Aliás, gostaria de saber o que acontece com a Jane...

- Devo confessar que adoraria ter o contato com cavalos, como a heroína tem: é uma amazona que compe-te. Acho cavalo um animal lindo, que passa força, beleza e elegância. Quando eu trabalhava na rádio co-brindo jogos de futebol, eu já conhecia a maioria dos cavalos que a PM utilizava no policiamento de choque para garantir a segurança das partidas. Nunca montei, quem sabe se eu ganhar na Mega Sena acumulada da virada, não faço aulas de equitação?


Loucos de Paixão – Trish Morey – Jéssica 2 Histórias 93
(The Greek’s Virgin – 2006 – Mills & Boom Modern Romances)
Personagens: Saskia Prentice e Alexander Koutoufides

Um plano de vingança executado até o limite dos valores de ética e decência era a marca comum no pas-sado de Saskia e Alex. Oito anos antes, a adolescente de 17 anos não pôde resistir ao sex-appeal do mag-nata grego que a seduziu, a fez se sentir única e desejável, só para rejeitá-la no momento quando estava mais vulnerável a ele. Agora, já adulta, Saskia precisa que ele a ajude a conseguir uma promoção. O pro-blema é que ele adoraria completar o que não fez antes. Saskia sabia que, ao final, poderia pagar um preço muito mais alto que pretendia, mas não tinha outra opção – era Alex ou perderia tudo...

Comentários:

- Ainda vou sugerir ao Comitê Olímpico Internacional um esporte para os jogos do Rio 2016: tiro ao alvo grego. Simples: solta o megaempresário grego onipotente correndo e eu atrás com uma arma (chumbinho, bala de borracha, mira laser ou AK 47 – a gosto da freguesia) Cada tiro no alvo, ponto para o país. No que dependesse de mim, Brasil sil sil seria campeão olímpico!

- Alexander está sempre certo. E isso causa TODOS os problemas da trama. Ele quer se vingar de Victor Prentice, o homem que tomou a empresa de seus pais e desonrou sua irmã de (na época) 15 anos. Ele consegue levá-lo à falência e seduz a filha adolescente do inimigo, mas na hora do “olho por olho, dente por dente”, ele a rejeita, afirmando que não dormia com virgens... (e desde quando ser virgem é um crime? O errado na história era ELE, não ELA.)

- Oito anos depois, Saskia achava que tinha alcançado seu objetivo, a merecida promoção à editora-chefe, que permitiria os recursos necessários para pagar o tratamento de saúde do pai, gravemente enfermo só que as tramóias de outra concorrente ao cargo forçam um desempate: elas deveriam fazer o perfil de dois empresários que estavam reclusos há 10 anos. Se quisesse o cargo, Saskia deve conversar e escrever o Alexander, o homem a quem ela tinha razões de sobra para odiar. Obviamente, ele não fica feliz em revê-la, a acusa de ser uma repórter de fofocas e a expulsa de lá. Antes de sair, tenta uma última cartada: diz que contará no perfil tudo o que ele fez com ela.

- Alex finge aceitar a chantagem, mas reverte o jogo a seu favor, deixando-a sob o seu controle: transfor-mando-a em sua noiva e prometendo casamento publicamente. Desta forma, enfraqueceu a arma dela con-tra ele e praticamente a tirou da concorrência (por que ela se tornaria editora, se estava para se casar com um dos homens mais ricos do mundo e iria se mudar para o outro lado do planeta?). Neste meio tempo, ele decide que a quer de novo – e o fato de ela ainda ser virgem, só serviu para atrasar o inevitável.

- O fato é que, em nenhum momento, Alex abre mão das suas “certezas” sobre tudo, especialmente, sobre ela. E mesmo quando as certezas desmancham, ele não admite outras possibilidades. Saskia sempre foi uma inocente manipulada por ele, que não se importou em destruí-la quando aparentemente uma das suas certezas foi confirmada, deixando-a sem emprego, aos lobos, arrasada sobre o “mau caráter” e do pai e sem rumo.

- Foi no ponto em que Marla, irmã de Alex, explode e implode as certezas e Alex percebe que foi um crápula nojento é que eu queria que Julia James ou Lucy Monroe finalizassem a trama para que o grego otário tivesse uma punição à altura e penasse para ser perdoado. Afinal de contas, você vai reparando, ao longo da trama, que se pode piorar para Saskia, vai piorar mesmo... E houve momentos em que me perguntei se uma garota pode aguentar tanto sofrimento, decepção e rejeição...

- Obviamente, apesar do conjunto da obra, Saskia não hesita em aceitá-lo quando ele diz que a ama. E espero que, no “viveram felizes para sempre” imaginado pela autora, Alex tenha valorizado e compensado Saskia por tudo que a fez passar.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. "- Ainda vou sugerir ao Comitê Olímpico Internacional um esporte para os jogos do Rio 2016: tiro ao alvo grego. Simples: solta o megaempresário grego onipotente correndo e eu atrás com uma arma"
    Mas só você não teria graça. Quer dizer, pode ser você representando o Brasil e eu representando a Itália, que tal? *morre de rir pensando na Beta correndo atrás do grego com uma arma. O máximo que ele vai fazer vai ser agir como Brad em "Sr. & Sra. Smith" e começar a gritar pra você parar; o que, naturalmente, não vai acontecer*

    ResponderExcluir
  2. Ei Lidy... ri muito imaginando a "sua" cena descrita acima.

    Beta

    Quanto ao livro realmente esse segundo... senti um gosto amargo no fim... e nem era adoçante dietético... rs.

    dei nota 8 pra ele e nem sei porque...rs.

    Já o livro da Emma eu gostei... Mas fazer o que né... se sou fanzoca dela...rs?

    bjos
    Mara

    ResponderExcluir