sexta-feira, abril 26, 2019

Ciao!


Se você viu o meu #tbt, já imaginava que viria algo da Coleção Vaga-Lume hoje, né? Como disse, não poderia deixar terminar o #AbrilImperdível sem um livro desta série - que deixou muitas saudades e merecia voltar para a turma que ainda não conheceu. 

O escolhido, com uma trama bem leve, é de uma autora que gosto muito! E que eu não imaginava que estava completando 25 anos de publicação. O tempo voa!

Confusões & Calafrios – Sílvia Cintra Franco – Coleçao Vaga-Lume
(1994 – Editora Ática)
Personagens: a família de Fafá em Blumenau

Um dia, Fafá desejou estudar em uma escola onde tivesse amigos, ter um gato e um quarto só dela. Conseguiu realizar todos os desejos quando a mãe arrumou um emprego em Blumenau, para onde a família se mudou. No entanto, terminou envolvida pela irmã mais velha, Tina, e pelo primo, Mozart, em uma investigação de um caso de espionagem industrial onde tudo e muitas pessoas pareciam suspeitas...

Comentários:

- Bem, já fiz um texto gigante sobre a total identificação que a Beta-adolescente teve pelo livro (e as personagens super-poderosas de) Aventura no Império do Sol. Por isso, ao escolher o livro para este mês, optei por esta trama de 1994.

- “Eu tenho uma ideia” ou “o plano é simples e perfeito”. Se você escutar uma – ou alguma variação – destas frases vindas de Tina e Mozart, fuja. Pras montanhas, pro mar, pra outro continente, pra Plutão, pra outra galáxia. Fafá não teve essa chance – a adolescente se envolveu até a última fita de cabelo nas confusões orquestradas pela irmã e pelo primo, seja ainda em São Paulo ou em Blumenau.

- A narradora da trama, Fafá, vai descobrir que nem sempre realizar os sonhos é garantia de paz. Conseguiu o quarto, amigos como Zelé e Quaquá na escola, mas a descoberta de um plano de espionagem industrial na Fábrica de Cervejas Schmidt colocou ela, a família e os amigos em uma aventura completamente sem freios. Afinal de contas, por que o homem estranho estava sempre por perto da escola onde Fafá estudava ou da empresa onde a mãe dela era química? O que ele queria? Será que todos estavam em perigo? 
“Às vezes acho que, se eu quiser acompanhar toda essa história, vou ter que ler a coluna policial dos jornais para me acostumar com palavras como mancomunados e coligidas. Só que eu não gosto nem de palavra feia nem de coisas feias: tudo que você mais encontra nessas colunas”.(E ela nem topou ainda com os “nosocômios” e “diapasão” da vida!) 
- A autora contou que se tornou o livro favorito dela porque a fez rir várias vezes enquanto escrevia. É sério, tem hora que você ri – em alguns casos de nervoso, em outros, porque a confusão é tão grande que consegue ver a cena! Sílvia Cintra Franco optou por escrever uma aventura a partir da comédia, então, chovem referências inusitadas e inteligentes – sempre pelos olhos da observadora Fafá que está absorvendo e aprendendo muito durante a jornada.

- Nas vezes que li, sempre pensei que a trama tem ritmo de desenho animado – como se fosse um episódio do Scooby-Doo ou Pequeno Scooby Doo!) –, ao narrar todas as etapas de uma investigação de algo que parece ser muito grave a partir da junção de evidências que parecem óbvias. Só que os “investigadores”, misericórdia, estão mais pra Salsicha e Fred que para Velma (meu xodó!).


- Há um mistério? O que o espião tanto quer? Teremos fantasmas nessa história? Fafá tem mais bom senso aos 12 anos que a irmã e o primo? Blumenau será a mesma depois desta trama? Você vai ter que ler para descobrir. Provavelmente, irá gostar. C.D.Q.




Bacci!!!

Beta

Reações:

0 comentários :

Postar um comentário