domingo, fevereiro 17, 2019

Ciao!


Falou em flor, eu gosto de ver. E de ler. E de pensar sobre. Quando o ciclo da vida dela inspira poesia, fica melhor ainda. Pelo menos, foi o que eu achei.

Todas as flores que não te enviei – Felipe Rocha @tipobilhete – Astral Cultural
(2018)

O texto é dividido em sete partes: (Re)comece, Desenvolva-se, Corte Raízes, Sustente-se, Ilumine-se, Floresça e Desabroche; cada uma introduzida por um texto maior, seguido das frases curtas que ficaram famosas na rede social do Felipe Rocha.



E aí é muito da experiência de quem lê. Porque a frase dele pode evocar todo tipo de sentimento no leitor. Já comentei outras vezes que sou uma garota mais da prosa que da poesia. Mas estou me aproximando desta forma de manifestação de sentimentos – porque é disso que as frases falam. 

Sobre o amor – por alguém, por pessoas importantes, por si mesmo; fala sobre crescimento, sobre as perdas necessárias para amadurecer.


Afinal de contas, a gente precisa aprender a encontrar em nós mesmos o sentido da vida. Muitas pessoas colocam nos outros ou em posses que têm ou gostariam de ter. A partir do momento que a gente percebe que só nós mesmos podemos nos fazer crescer, florescer e desabrochar, as coisas ganham a proporção devida na nossa existência. A gente aprende a valorizar o que realmente importa.


É fácil? Não.
Adianta alguém te falar isso várias vezes? Não.
Muitas coisas na vida a gente percebe sozinho. Às vezes por bem. Às vezes por mal.
A benção é que tudo passa: se for bom ou ruim, nada permanece. A gente só precisa aprender a lidar com o que aprendemos em cada fase e transformar isso em inspiração para o que vier pela frente.

Todas as flores que não te enviei é simples de ler - mas não é simplório. Tem significado profundo. Porque todo mundo tem o próprio jardim para cuidar. E mostra que podemos fazer a diferença na vida das pessoas com uma frase. Compartilhar amor faz bem.



Bacci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário