quinta-feira, novembro 15, 2018

Ciao!




Para quem é qualquer uma das (ou todas) opções abaixo:
- Fã de Animais Fantásticos
- Fã de bastidores de cinema
- Fã de como trabalhar com criação de elementos
- Curioso

Este livro é um deleite! E já que oficialmente a segunda parte da cinessérie – Animais Fantásticos: Os crimes de Grindewald – estreia hoje (aqui na minha cidade houve pré-estreias), não tinha melhor motivo pra poder finalmente me perder nas páginas dele, né?

A maleta de criaturas: explore a magia do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam – escrito por Mark Salisbury e criado por MinaLima – HarperCollins
(The Case of Beasts: Explore the Film Wizardy of Fantastic Beasts and Where to Find Them – 2016)

Para quem está chegando hoje ao Literatura de Mulherzinha, saibam que eu sou uma leitora apaixonada por Harry Potter e também amo Animais Fantásticos (muito pelo protagonista: adoro o jeito dele. O fato de ser interpretado pelo meu sardento favorito também ajudou, claro). Já contei a minha saga para conseguir o Animais Fantásticos - o roteiro original.

Então quando o primeiro filme foi lançado, eu me dei este livro de presente ao encontra-lo em uma promoção irresistível. Era um dos livros da meta de 2017, mas devido ao festival de mudanças que passei, não consegui me dar o tempo que ele merecia para ler.

Agora me dei tempo – e não me arrependi.

O livro revela pra gente mais que os bastidores do filme, mas sim quanto trabalho dá para criar alguma coisa. No caso, uma cinessérie que tem elementos de outra que fez sucesso e tenta se estabelecer por suas próprias pernas no mesmo universo.

Claro que eu escolhi uma imagem que cita meu aniversário, né?

E sempre que a gente pensa em um filme (ou em uma apresentação teatral ou em uma novela), a gente prioriza sempre roteiro, elenco, direção. Tanto que estas são as principais categorias no Oscar. No entanto, é necessário um enorme número de profissionais por trás das câmeras para que a gente embarque no que está sendo mostrado.

Este livro revela os detalhes pra nós: desde as entrevistas com os atores, as atrizes, produtor, diretor, falas de J.K. Rowling. E o que enche os olhos: eu adoro os casacos da Queenie e do Newt – são aquelas peças que eu queria ter – e a Colleen Atwood, que venceu o Oscar, explica as escolhas que levaram até essas e outras peças e como elas se relacionam com os personagens.


Os responsáveis pelos efeitos visuais e cenários também contaram como transformaram as palavras do roteiro em imagens e quanto trabalho deu para encontrar o tom da história dos personagens. E encontrar elementos que ajudassem na atuação e depois na finalização visual do filme.


E a turma da MinaLima, que faz um monte de coisas que a gente nem pensa ao ver em cena, mas que não aparecem lá em um passe de mágica: passagens de avião, panfletos, jornais, pôsteres, os cadernos de anotações de Newt. Eu fiquei realmente encantada pelo trabalho deles, porque pra envolve muita pesquisa e muita criatividade até chegar no produto final.




É o ponto destacado no livro: tudo criado para o filme tem que parecer real, mesmo com os elementos mágicos, se não o público não consegue se conectar à fantasia.

Eu realmente gostei muito do livro. Claro que o fato de ter os pôsteres do Newt e da Tina ajudou – foi uma surpresa, porque eu não dei as famosas “olhadinhas” para ver o que tinha nas páginas a frente. Espero conseguir colocar ambos em molduras no meu quarto. Afinal de contas, esta garota da Corvinal torce pelo Lufa-Lufa mais desajeitado, torto e incrivelmente leal aos amigos – sejam animais ou humanos.



Bacci!!!

Beta

ps.: E mais um livro é riscado da Meta de Leitura de 2018
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário