quinta-feira, março 02, 2017

Ciao!!!


Blogueira escorpiana é assim: promessa é dívida a ser cumprida. Conheci a Nana Pauvolih na Bienal de JF, expliquei que a inda não tinha lido nada dela, mas que iria corrigir isso o quanto antes...
... E por tabela ainda apresentei Antônio & Cia. para mais três pessoas, uma delas #MadreHooligan. E a missão se torna mais que cumprida a partir de hoje com o texto no Literatura de Mulherzinha ;)
Agora, vamos ao que interessa, né?

Redenção de um Cafajeste – Nana Pauvolih – Fábrica 231 (Trilogia Redenção #1)
(2015)
Personagens: Arthur Moreno e Maiana Apolinário

Arthur Moreno é rico, bonito, acostumado a ter todas as mulheres aos seus pés, usá-las para seu prazer e depois dispensá-las sem remorso. Até o momento em que Maiana bateu à sua porta, para declarar que ninguém estava à venda na família dela (ah coitada!). A linda jovem batalhadora e honesta se tornou o objeto de desejo e obsessão do ricaço que estava disposto a todo tipo de estratégia para conquistá-la. O que ele não previu é que nem tudo poderia correr como ele queria e ele não conseguisse lidar com as consequências.

Comentários: 
“Nossa, que cara safado, sem vergonha e cretino! Ele não vale nada!” #MadreHooligan 
- Quando conheci a Nana, todas só falavam no Antônio, mas ele é o desfecho da Trilogia Redenção. Por isso, vamos ler os amigos dele. E a Nana até comentou que estava curiosa nas opiniões sobre o Arthur que era, digamos, o “mais difícil” dos três, mas que, para entender as razões, eu teria que ler.

- Ok, eu li. E entendi. Passei boa parte do livro irada com o Arthur e outra parte a-m-a-n-d-o a desgraça dele (sim, sou dessas). Uma das minhas eternas reclamações envolve livros onde o protagonista faz o que quer e bem entende, apronta todas e mais algumas e quando a máscara cai e a verdade vem à tona, o que acontece? PERDÃO A JATO! Socorro! Nunca engoli essa coisa de “perdoo tudo por amor”. Há limites para minha capacidade de compreender atitudes e deixar pra trás.

- E Arthur faz um trabalho impecável em tirar qualquer ser humano do sério. Decide que quer Maiana e vai tê-la não importa o custo. Pira quando descobre que ela é virgem e romântica. Se alia a quem não deve, atropela tudo, todos, gnomos e duendes que estiverem no caminho. E o plano dele dá certo: a resistência da garota vira pó e ela cai na rede do sedutor, acreditando que está vivendo uma intensa, apaixonada, passional história de amor. Embora, a gente percebesse as fissuras no romance perfeito, porque Arthur era impulsivo, egocêntrico, só pensava nos próprios desejos, ciumento e julgava Maiana pelo padrão das outras mulheres com quem se relacionou, sendo que ele mesmo ficou louco nela por entender que ela era diferente.

- Mas a casa cai. Lindamente. Maiana descobre a verdade, que foi enganada e “vendida” para o ricaço e, movida pela dor alimentada pela traição, mágoa e orgulho destroçado, arrasa Arthur. E quando digo arrasa, é arrasa mesmo. Como não tem dinheiro que compre o perdão e um recomeço, o ricaço mimado fica desnorteado. Quanto mais ele tenta recuperar, mais piora porque a impulsividade é a marca do homem criado desde pequeno como um “reizinho”, acreditando que todos deveriam fazer as vontades dele. 

- Para agravar, Matheus, um de seus melhores amigos, se torna um rival inesperado, aumentando a ameaça os planos dele. De qualquer forma, leva tempo para você – como Maiana – acreditar que Arthur está realmente arrependido, porque ele age como uma criança mimada de quem foi tirado um brinquedo do qual ele ainda não se cansou. Ai a decisão será da Maiana, viver condenada por uma mágoa ou recomeçar? E o melhor: com quem?

- Só por não ter o perdão a jato já marcou muitos pontos comigo. Só por fazer Arthur sofrer mais que leitora compulsiva sem dinheiro em época de promoção, me deixou muito feliz. Mas o livro serviu a outro propósito: estabeceler uma boa impressão da literatura erótica. Não que eu não tenha tido outras experiências. Além daquela série amada por muitas, menos por mim, houve os históricos muito bons da Jess Michaels e o primeiro de uma trilogia da Maya Banks (que #MadreHooligan leu toda e amou). Aqui tive a chance de ler algo bem escrito e por uma autora nacional – felicidade em dose dupla.

- A saga de Arthur e Maiana me capturou pela trama (eu queria saber o que aconteceria quando a verdade viesse à tona e a maré virasse contra o ricaço); pelas pistas das vidas dos outros dois amigos, que serão os próximos protagonistas da Trilogia (aí sou obrigada a confessar que não foi Antônio – que aparece sim –, mas Matheus, que aparece mais, quem chamou a minha atenção, afinal de contas, não resisto a um “bom moço”). Arthur, como ele mesmo se define, “é o mais normal dos três tarados”.

- Não me senti desconfortável com a linguagem direta nas cenas íntimas, sem as metáforas (às vezes) malucas usadas em outros livros. Como Nana me disse na entrevista em junho, “é deixar a porta aberta”. Sexo é uma parte da vida por mais que as regras sociais ditadas por uma sociedade machista tentem castrar as experiências femininas – não estou levantando bandeira, apenas constatando fatos: as mulheres não tem a liberdade de fazer o que quiserem porque levam pedradas e são julgadas por tudo, todos e todas. Voltamos ao mal do “todo mundo se acha no direito de mandar na vida alheia ao invés de cuidar da própria”.

- Enfim, aprovadíssimo por mim e por #MadreHooligan (alguma surpresa se eu contar que os livros foram confiscados para a pilha dela e só depois foi que pude ler? Nenhuma, né?). 

- Como vocês viram no comentário que citei lá no início, ela antecipou as razões pelas quais eu detestaria Arthur, mas me disse que eu iria gostar da reta final do livro. Obviamente, ela acertou. 

- Agora, que venha o “tarado bom moço” Matheus.
Ah, caso você esteja se perguntando sobre o motivo das “”, envolve uma suspeita minha que vou explicar melhor quando escrever sobre o livro dele, ok?

Trilogia Redenção
Redenção de um cafajeste – Arthur Moreno e Maiana Apolinário
Redenção e submissão  – Matthew de Sá Mello e Sophia Marinho
Redenção pelo amor – Antônio Saragoça e Cecília Blanc


Bacci!!!

Beta
Reações:

14 comentários :

  1. Olá, amei sua resenha! Me fez ficar com vontade de ler o livor, coisa que até então eu não tinha. Preciso ler para vez o reizinho quebrando a cara, sofrendo! rsrs

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Pelo visto vc se divertiu bastante com os livros, mas a literatura da Nana é assim mesmo, ela te envolve, liquidifica e depois devolve de modo completamente diferente.

    Bjsss

    ResponderExcluir
  3. Olá Beta, esse é o livro que mais odeie da trilogia e não por ele ser ruim, mas sim, pelo Arthur, nunca odiei tanto uma personagem que era para ser o mocinho da história, cara, ele muito babaca, o quanto ele fez a Maiana sofrer, até quando ela estava grávida, não merecia a redenção. Mais o livro em sim é muito bom, mas prefiro o segundo e o terceiro. Bjokas.

    ResponderExcluir
  4. Nunca li! Seu texto está muito bem escrito. Parabéns! Mas a dica eu passo! Não curto muito o gênero. Um beijo!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  5. Eu terminei essa série a pouco tempo e amei. Mas meu favorito entre todos foi Arthur mesmo. Meu reizinho lindo. Que eu amei e odiei assim como você. Amei a resenha. Parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oiiii tudo bem??
    Não consigo gostar de series assim, simplesmente não da.
    Mas adorei a sua resenha, até daria vontade de ler, se não conhecesse a serie.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  7. Oláá!

    Infelizmente, por mais que eu veja elogios sobre a história, não consigo me sentir curiosa ou ansiosa para ler livros deste gênero.
    Essa fórmula infelizmente não me envolve :(

    ResponderExcluir
  8. Olá! Olha, apesar de não gostar do gênero, a sua resenha me deixou curiosa para ler. É sério! A sua empolgação me contagiou, vou procurar saber mais da série, obrigada pela dica. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi muito esse livro por aí e ele nunca me chamou muito a atenção, mas sua resenha toda empolgada me despertou interesse. Agora quero entender tudo que está envolta do ricaço kkk

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  10. Que resenha diferente, gostei dela e do seu selo de qualidade, kkk. Até eu que não curto muito o gênero, fiquei curiosa com a história. Se eu conferir, venho dizer o que achei <3

    ResponderExcluir
  11. Fico feliz que o livro tenha deixado uma boa impressão da literatura erótica pra você, mas não é que esse tipo de cena me deixe desconfortável, na verdade fico meio entediada e acabo pulando algumas partes, então muitas vezes prefiro abrir mão de conhecer a história. Mas essa talvez até valha a pena pelo sofrimento do Arthur, rs, que gostaria bastante de presenciar...

    ResponderExcluir
  12. Oiii, tudo bem?
    Parabéns por essa resenha garota, não é um livro que eu costumo ler, mas fico feliz que tenha trazido ao blog e gostado da obra, vou indicar para algumas amigas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Ai gente, quero muito ler os livros da Nana. Só vejo elogios rasgados pelos livros delas e estou doida para começar algum. Sim o pessoal só fala do Antônio, até porque ela mesmo falou que é o favorito dela HAHAHAHAHAA Dica mais anotada <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. olá...

    olha esse estilo de livro eu não gosto, passo longe, mas a forma com que vc resenhou bem que me deixou curiosa....maldade a sua!!!

    hehe

    bjs

    ResponderExcluir