quarta-feira, setembro 14, 2016

Ciao!!!



Minha nossa senhora da confusão!!! Sabe quando o trem está feio e alguém piora?
Este é um singelo resumo do que aconteceu neste livro.

O Coração da Esfinge – Colleen Houck – Arqueiro (Deuses do Egito livro II)
(Recreated - 2016)
Personagens: Lily, os Filhos do Egito e muita, mas muita mesmo, confusão!

Lily estava tentando se conformar em viver sem Amon, aceitando inclusive todos os planos elaborados pelos pais para o futuro dela. Mas durante as férias na casa da avó ela foi convocada por Anúbis para resgatar Amon. O príncipe havia decidido abrir mão da imortalidade e se transportou para o mundo dos mortos, onde achava que poderia esperar por ela. Só que o equilíbrio está afetado, ele corre perigo e apenas Lily pode evitar uma desgraça completa. O problema é que para resgatar o amor da vida dela, ela terá que passar por uma série de desafios e sob o risco de deixar de ser si mesma.

Comentários:

- Ah, o amor, este sentimento tão lindo, tão puro e que motiva decisões tão impulsivas que viram uma bola de neve de problemas complexos, graves e mortais – até para os imortais. Amon não permitiu que o coração fosse colocado na balança da Justiça (leia o livro e entenda o motivo) e usou o Olho de Hórus para fugir para o mundo dos mortos. O plano dele era simples: deixar de ser um dos Filhos do Egito, que desperta a cada mil anos para manter Seth trancado, e esperar por Lily, depois que ela tivesse uma vida longa e próspera.

- Pode estourar os coraçõezinhos e suspender a música de love story. Boa ideia? Só que não! O doido pulou para o que nós convencionamos chamar de inferno, o que não é o lugar mais legal para ficar de boa esperando pela amada. Ainda mais quando se tem algum tipo de poder que interessa outras criaturas, especialmente aquelas que são as melhores amigas e servas fieis de Seth. Transformar o príncipe-múmia-romeu-apaixonado em um lanchinho era uma ajuda e tanto pro plano do deus de quer acabar com tudo e reinar sozinho.

So I'm following the map that leads to you
The map that leads to you
Ain't nothing I can do
The map that leads to you
Following, following, following to you

- Resultado: os deuses precisavam resgatar o moço apaixonado pra tentar evitar que tudo fosse por água abaixo e só uma pessoa poderia fazer isso. Lily. Só havia alguns ajustes necessários, coisa pouca, como o fato de ela ser humana, não ter poder nenhum e, bem, estar viva. 

- É o que Anúbis explica: por estar conectada ao príncipe, era uma missão dela. No entanto, ela precisaria passar por alguns desafios e precisa chegar viva e sã ao final deles para estar apta a tentar a missão. Tá vendo, quem disse que amar é fácil, nunca teve que buscar o amor da vida no mundo dos mortos, né? Ainda mais porque, longe de mim querer desanimar, mas, na Mitologia Grega, quem tentou não funcionou, não... Por sorte (?), ela não está na Grécia, mas do outro lado do Mediterrâneo. E se agarrou ao fato de que teria que dar certo. Ponto final.

I hear your voice in my sleeping night
Hard to resist temptation
'Cause something strange has come over me
And now I can't get over you
No I just can't get over you

I was there for you
In your darkest times
I was there for you
In your darkest nights

- Claro que Lily topa, ainda mais porque consegue ver Amon em sonhos e sabe que ele está correndo perigo. Não tem a menor ideia – apenas em linhas gerais – do que realmente precisa fazer, do que será exigido dela, dos riscos a que está exposta e do tamanho da encrenca em que está se metendo para salvar Amon da encrenca onde ele se meteu. Quando me dei conta de 10% disso, tudo que eu queria era que Lily logo após cumprir a missão, desse uns cascudos daqueles na cabeça dura do príncipe antes de passar ao que realmente interessa (não, não vou contar se isso realmente acontece. Vocês vão ter que ler para descobrir).

- E ao longo da jornada vão surgindo aliados inesperados, mais decisões (incluindo algumas que escaparam dos planos originais), encontros surpreendentes, reencontros, descobertas, reviravoltas. Mais um pouco, achei que ia aparecer o Galvão Bueno berrando “haja coração!”. Eu não devia, mas vou adiantar apenas uma conclusão meio óbvia depois de tudo que você vai ler em O Coração da Esfinge: nada é aleatório, muito menos por acaso. Só que pra gente – e creio que Lily também – entender tintim por tintim o que isso significa, vamos ter que esperar a próxima parte da série. Suspiros. Fazer o quê?

Série Deuses do Egito
0.5 – O duelo dos imortais – Reignited 
2 – O coração da esfinge – Recreated
3 - Reunited - publicação esperada para 2017


- Links: Goodreads livro, série e autora; site da autora; booktrailer; Skoob; página no Facebook dedicada ao livro; mais dela no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta
Reações:

13 comentários :

  1. Quero muito conhecer essa trama, mas ainda não li nem o primeiro livro, portanto acho que o que foi uma loucura pra vc que já conhece o ínicio, foi um hospício inteiro pra mim que não faço ideia do que rolou antes.... kkkk... Acho as capas maravilhosas e por gostar de mitologia egípcia já está na minha lista.

    Raissa Nantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raíssa! Te aconselho a ler na ordem pra não cair no hospício dos deuses egípcios! Depois, por favor, volte para me contar o que achou! Abraços!

      Excluir
  2. Olá.
    Otima resenha, sempre quis ler o livro e agora fiquei ainda mais curiosa. ótima dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada pela gentileza e pela visita :)

      Excluir
  3. Oie
    ótima resenha, não é um livro que leria pelo menos por agora pois não é o tipo de leitura que procuro, mas bem legal a dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Primeiramente parabéns pela resenha, e segundo que livor é esse hein? Quero muito ler ele, gosto de toda a trama criada em torno dos personagens. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Adorei a sua resenha! Tenho muita vontade de ler essa série, apesar de ter a sensação que esse segundo livro não seja tão bom quanto o primeiro. Mas deve ser uma leitura bem legal ainda.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem.

    Eu li o primeiro livro e foi bem divertido, algumas coisas me incomodaram, mas deu para aproveitar a leitura. Mas confesso que não sentir vontade de continuar a série. Parei no primeiro. Mas tenho amigas que amaram. Gostei muito do seu post.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Beta, sua linda, tudo bem?
    Desde o primeiro livro que tenho lido algumas resenhas negativas, as pessoas estão se decepcionando um pouco com essa nova série da autora. E já vi comentários também negativos sobre esse segundo. Por isso, não estou animada em fazer a leitura. Uma pena mesmo a autora não ter conseguido o mesmo sucesso que fez com a saga anterior.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá! Tudo bem com você? Confesso que é a primeira vez que leio sobre essa série, andei meio desligado do meio literário por conta do temido TCC, mas super me amarrei nessa série, já fiquei curioso por conta do seu post, vou mandar na lista dos desejados.

    ResponderExcluir
  9. Ola lindona, estou doida para ler essa trilogia, mas como já tenho várias séries em andamento, vou esperar lançar mais livros, adoro o tema e cenário desse livro. Espero gostar assim como você. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  10. Menina ri demais na parte do Bueno! kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Em relação a história, admito que tenho muita curiosidade para conhecer essa história da Collen e também a do Tigre! Meu coração bate forte por essas capas, mas sinto que irei gostar mais dessa trilogia, pois sempre amei história e principalmente a que envolvia o Egito! <3

    ResponderExcluir
  11. Ora, eu terei mesmo de comprar esse romance, além de seu volume anterior, para entender porque esse príncipe egípcio teve essa idéia estúpida de uma forma que possa vir a parecer-me razoável ! Inferno não é lugar para ir - a não ser que seja pelos Campos Elíseos de inferno grego ! Uma surra cairia bem mesmo, pois eu sou adepta de que temos de lançar mão de punhos em alguns momentos, autorizados pela contingência.

    ResponderExcluir