domingo, setembro 04, 2016

Ciao!!!




Continuando o Especial Brasil do Literatura de Mulherzinha, ainda não conhecia os trabalhos da Samanta Holtz. Eu escolhi este porque tive uma intuição de que era um livro que eu gostaria. E não deu outra!

Quando o amor bater à sua porta – Samanta Holtz – Arqueiro
(2016)
Personagens: Maria Luiza/Malu Rocha e Luiz Otávio Veronezzi

Malu Rocha tinha alcançado o sucesso, com as suas histórias figurando sempre entre as mais vendidas no Brasil. Agora estava às voltas com os desafios do próximo livro, porque estava incomodada com alguma coisa – que ainda não sabia bem o quê – na trama que estava criando. Até que um estranho bateu à sua porta dizendo que estava com amnésia e precisava da ajuda dela para descobrir quem era. Mesmo tentando não se envolver, Malu acaba embarcando na jornada para desfazer o mistério, sem a menor ideia de quanto isso mudaria a vida dela.

Comentários:

- Malu tinha uma rotina bem definida: pedaladas de manhã, seguida de visita ao avô, ler a sua coluna favorita no jornal e escrever a jornada de Ana Clara, a protagonista de seu próximo livro, na sua casa afastada de tudo em São José dos Pinhais, no Paraná. No entanto, isso não significa que está tudo perfeito. Ela está insatisfeita com os rumos do livro que está escrevendo porque sente que falta algo, mas não consegue perceber claramente o quê. Ficou ainda mais ressabiada quando fugiu de uma pergunta em uma coletiva de imprensa, simplesmente porque não sabia como responder.

- Até que um homem bateu à sua porta. Um estranho que dizia se chamar Luiz Otávio, o mesmo nome de um dos protagonistas do livro em andamento, explicou que acabou de ter alta de um hospital, onde ficou internado após um acidente de carro. Ele perdeu a memória e a única pista sobre si mesmo era um pedaço de papel onde constava o agendamento de um compromisso com Malu Rocha. Só que ela não tinha a menor ideia de quem ele era. E graças a uma série de infortúnios tecnológicos, nem a assessora Rebeca poderia ajudar com as respostas imediatas.

- Ela tenta não se envolver, mas acaba se aproximando de Luiz Otávio enquanto busca alternativas para ajudá-lo a desfazer o mistério. E descobre um homem cativante e com opiniões bem divergentes das dela – que tinha motivos para não acreditar no amor idealizado e romântico, que eram a base de seus livros bem sucedidos. Ele podia não saber muita coisa sobre si mesmo, mas acreditava na esperança e na liberdade que acompanhavam os amores verdadeiros.

- You’d think that people wouldn’t have enough of silly love songs.
- I look around me and I see, it isn’t so. Oh, no.
- Some people want to fill the world with silly love songs
- Well what's wrong with that? I'd like to know, cause here I go again! Love lifts us up where we belong, where the eagles fly, on a mountain high!
- Love makes us act like we are fools, throw our lives away for one happy day.
- We could be heroes! Just for one day!
* Sim, os conflitos entre Luiz Otávio e Malu me levaram para esta cena de um dos meus filmes favoritos!*

- Ao mesmo tempo (embora não fosse voluntário), Luiz Otávio fazia questão de mostrar à Malu como ele a percebia e as opiniões a deixaram confusa, porque iam de encontro ao que ela acreditava e ao que fazia sentido na atual fase da vida dela. Vamos ver como Malu lida com toda esta crise no mundo como ela preferia entendê-lo e sem pistas de como restabelecer a ordem onde ela não estava feeeeeliz, mas era pelo menos confortável que o festival de dúvidas, questionamentos e lembranças que preferia deixar de lado. Se ele não conseguia se lembrar, ela gostaria, voluntariamente, de esquecer.

- Os dois personagens passam por uma fase limite ao longo da jornada de “Quando o amor bater à sua porta”. Luiz Otávio tem apenas o nome e um bilhete como referências de si mesmo. A memória de vez em quando solta fagulhas, mas nada muito relevante. E a vida “todo dia ela faz tudo sempre igual” de Malu não será a mesma depois que os caminhos deles se cruzaram. às vezes a gente deixa de se ouvir ao se conformar em rotinas confortáveis. E, por piores que sejam, a gente não pode varrer pra baixo do tapete certos problemas, incômodos e situações mal-resolvidas (ninguém gosta de viver assombrado por, digamos, “fantasmas do Natal passado”). Quando a gente esvazia esta prateleira de pendências, além de ficar mais leve, consegue abrir espaço para coisas boas e pessoas melhores. Talvez até para cenas apoteóticas dignas de comédias românticas.

Suddenly the world seems such a perfect place
Suddenly it moves with such a perfect grace
Suddenly my life doesn't seem such a waste
It all revolves around you
And there's no mountain too high
No river too wide
Sing out this song and I'll be there by your side
Storm clouds may gather
And stars may collide
But I love you until the end of time

- E que me perdoe o médico neurologista que entrevistei uma vez e que comentou que as saídas geralmente encontradas para amnésia na literatura, novelas, minisséries e no cinema costumam não corresponder à realidade. Que se dane a vida real. Há uma passagem sobre isso no próprio livro: muitas pessoas (eu incluída, ainda mais de uns tempos para cá) gostam de ler para se distrair e esquecer por alguns momentos de uma nada mole vida. Quero acompanhar o medo e as dúvidas dos outros e como fazem para encontrar a solução – se é que encontram. Quero acreditar que o amor aparece na vida da gente, muitas vezes quando menos esperamos. Talvez possa mesmo bater à nossa porta e virar tudo do avesso, para que finalmente tudo e todos encontrem seus lugares.


Bacci!!!


Beta
Reações:

22 comentários :

  1. Adorei os comentários e to mais ansiosa pra ler, também não conheço a escritora, mas a sinopse e essa capa me chamaram tanto atenção que preciso ler pra ontem, kkkkk!!!!
    Ahh adorei o blog, ;)
    www.pequenaresenha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jô! Espero que você tenha a chance de ler e que se divirta. Obrigada pela gentileza de visitar e comentar :)

      Excluir
  2. Eu tenho o livro e ainda não o li, tb não conheço a autora, adorei a resenha fiquei curiosa pra ler
    www.byanak.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Karla, espero que você tenha uma boa experiência com ele! Obrigada pela visita :)

      Excluir
    2. Oi, Ana Karla, espero que você tenha uma boa experiência com ele! Obrigada pela visita :)

      Excluir
  3. Querida Beta,

    Que linda resenha de "Quando o amor bater à sua porta"!!! E que belíssimas reflexões você construiu em cima da trama :D Amei especialmente esse trecho:

    "Às vezes a gente deixa de se ouvir ao se conformar em rotinas confortáveis. E, por piores que sejam, a gente não pode varrer pra baixo do tapete certos problemas, incômodos e situações mal-resolvidas (ninguém gosta de viver assombrado por, digamos, “fantasmas do Natal passado”). Quando a gente esvazia esta prateleira de pendências, além de ficar mais leve, consegue abrir espaço para coisas boas e pessoas melhores."

    Uau!!!

    Muito obrigada por dividir sua opinião sobre a história aqui no blog :) Fiquei muito feliz!

    Ahhhh, e adorei a consideração final sobre o neurologista que entrevistou rs... o mundo artístico nem sempre se aproxima muito da realidade, mas o próprio Luiz Otávio nos ensina que isso nem sempre é o mais importante! Apesar disso, pesquisei muito as causas e cura do tipo de amnésia retratada no livro, para que tudo fizesse sentido no mundo real :)

    Beijo enorme no coração! :*
    Sam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sam, muito obrigada pela visita! Que bom que você gostou das minhas impressões sobre o livro! Estou ter a oportunidade de ler mais obras suas! Beijos!!! :)

      Excluir
  4. Olá,

    Já li esse livro e adorei! A Samanta é muito boa com as palavras e sabe como desenvolver uma boa história, além de ser bem atenciosa com seus leitores. Estou bem curiosa para ler os outros dois livros dela que ainda não li, mas recomendo bastante Renascer de um outono, pois é incrível e muito tocante! Uma história digna de Hollywood.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thayenne! Valeu pela dica! Irei procurar! Muito obrigada pela visita :)

      Excluir
  5. Que lindo até a autora veio comentar a resenha, eu só escuto elogios a obra, ainda não tive a chance de poder ler mas espero bem breve poder. Pois fico muito curiosa com este livro. Parabéns pela incrível resenha.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karine! Obrigada pela visita e pela gentileza em comentar! Espero que você leia e também goste do livro :)

      Excluir
  6. Oie Beta!
    Eu ainda não consegui ler o livro, ele está aqui na pilha dos atrasados, rsrs.
    Eu já li resenhas dizendo que o livro é bom, outros que não gostaram. Eu estou bem curiosa para ler e descobrir o que acho da história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Uau! Não tem expressão melhor para definir sua resenha. Você contagiou os mais reticente leitor e conquista a gente com um texto desse. Confesso q achei q o livro seria só mais um, mas estou redondamente enganada e me vi comprando meu próprio exemplar. Eu preciso agradecer e te incentivar a continuar com essas resenhas maravilhosas. Bjk!

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Eu li esse livro e amei. Amei é pouco, virei muito fã da Samanta por causa de sua escrita e sua delicadeza em contar essa história. Impossível não amar!

    ResponderExcluir
  9. Oiii!!

    Quero muito ler essa obra! Gostei bastante de ler suas considerações, mas não consegui ler ainda...
    A Samantha é muito amor! Vou esperar para comprar!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Que resenha mais linda. Eu já tinha lido algumas resenhas do livro mas nenhuma delas me tocou e me fez pensar tanto como a sua.
    O livro já estava na minha lista, agora, com certeza irá furar algumas filas.
    E, concordo com você... Que se dane a vida real!!!! é bom acreditar que o amor pode sim bater na nossa porta, porque se a gente deixa de acreditar nisso, o que mais podemos esperar além de uma vida vazia???
    E que fofa a Samantha passando por aqui :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Que resenha do livro, hein! Ele parece ser profundo e trazer tudo isso que vocês falam. Também acredito que o amor chega quando menos esperamos.
    Estou louca para ler esse livro, ele já está na minha estante e lerei nas férias. Bela resenha.

    ResponderExcluir
  12. Realmente lemos para sair da realidade em que vivemos. Que se dane a vida real! hahahha ameeei sua resenha. Eu quero muito ler esse livro, acho que irei gostar <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visto algo sobre o livor, em outros blogs, apesar de achar a ideia criativa de mostrar uma escritora que acaba vivendo sua própria criação, achei que o livro peca em muitos clichês.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Já vi muitas resenhas desse livro e a sua é uma das melhores, com certeza. Com o passar do tempo fui achando que esse livro se tornaria um pouco maçante para mim, não por causa dos clichês e sim por causa da história mesmo, então fiquei com um pé atrás.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Olá! Nunca tinha ouvido falar desse livro, estou naquela vibe de conhecer novos livros de romances, esse veio na hora certa, já vou marcar na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  16. Zeus, eu juraria sem problema algum que eu compraria este romance graças à sua capa lindíssima de uma simplicidade adorável porque eu gamei naquela porta azul profundo com rosas claras cor-de-rosa ao lado em um buquê de roseiral tão lindo !!! Além de que eu adorei esse relacionamento inesperado entre ela e ele, apresentado desse jeitinho tão meigo, com cada qual romântico à sua maneira apesar de tudo.

    ResponderExcluir