sábado, abril 16, 2016

Ciao!!!


Agora o texto é da Mara D'Arques, do Lady d'Arques e fala sobre o personagem favorito dela...

****

Anvrai d'Arques

Aparência:

O aspecto de Anvrai d'Arques era chocante. Mesmo os que não o conheciam, teriam ouvido comentários a respeito. O lado esquerdo do rosto dele era marcado por cicatrizes, e a órbita vazia que antigamente abrigara um olho causavam repugnância.

Fazia muito tempo que Anvrai aprendera uma lição amarga. Nenhuma jovem, da mais simples a mais atraente, poderia se interessar por ele. A não ser, era evidente, as que visavam uma generosa remuneração.

Qualquer homem poderia apreciar a beleza de uma jovem, sonhar em tocá-la ou mesmo em beijá-la. Se Anvrai tomasse atitude semelhante, seria chamado de ogro. Por esse motivo nunca lhe ocorria participar de danças ou festas.

A Tragédia:

As cicatrizes de Anvrai são testemunhas do que acontecera com sua família, e de como ele poderia ter tido o mesmo trágico destino.

Uma rápida incursão de tropas bárbaras às terras do pai de Anvrai resultou nas tragédias que geralmente se sucedem a estes fatos. Tudo o que não pôde ser levado foi incendiado, os que ousaram enfrentar os atacantes foram mortos. Anvrai foi deixado sem um olho e muito ferido.

Anvrai estava com oito anos e se escondeu nos aposentos dos pais, o pai havia ido à procura da esposa, da filha e de Anvrai, quando um nórdico lhe atravessou o peito com uma lança.

Apesar da pouca força e idade Anvrai tenta puxar o pai para longe do fogo, mas este vendo que não resistiria aos ferimentos deu ordens para que ele encontra-se a mãe e a irmã Beatrice e as escondesse no porão secreto que havia sob a residência, onde nem os escandinavos ou o fogo poderiam alcançá-los.

Elas estavam seguras, mas ao seguir as ordens do pai Anvrai as expôs ao perigo, os atacantes os pegaram e obrigaram-no e a Beatrice a assistir a violação e morte da mãe. Eles pediram clemência aos atacantes implorando para que poupassem a vida dela e não os obrigasse a assistir o horror de tanta violência.

Quando Anvrai e Beatrice acharam que seriam atendidos, um deles perfurou o olho de Beatrice com uma lança e a matou, logo em seguida o outro bandido que segurava Anvrai lhe fez o mesmo, mas usou um pequeno punhal e esse foi o motivo de Anvrai ter sobrevivido. 


As Cicatrizes:

Anvrai deixava à mostra as marcas do infortúnio que o atingira. A crueldade a que sobrevivera dava-lhe o direito de mostrar o rosto da maneira que quisesse. A piedade não lhe agradava e ele considerava uma penitência passar a vida mostrando o rosto desfigurado para quem quisesse ver.


O Homem:

Uma órbita vazia no lugar que antes havia o olho, a face esquerda cheia de cicatrizes, a eterna recusa de se responsabilizar novamente pela vida de alguém, pois havia falhado em sua mais importante missão, salvar sua mãe e sua irmã.

Os anos lhe trouxeram força e coragem, o tornaram o homem de confiança de Mathieu Fitz Autier, em quem ele encontrou uma amizade profunda e sincera. Recusou os favores do Rei, apenas para empenhar sua espada as causas do grande amigo.

Uma alma torturada e a certeza de que nunca encontraria alívio para a própria dor.

Um homem inesquecível!

Eis o porque de eu ter me apaixonado e ter-me tornado Lady d'Arques!

A Versão Anvrai (Bon Jovi)... feita pela amiga Tonks... do blog...Romances in Pink


Resenha do livro “Refém do Desejo” – Margo Maguire



Inglaterra e Escócia, 1072


Sua vida estava nas mãos de um homem que ela não ousava amar...

Isabel Louvet é bonita, inteligente, cobiçada. Mas estas qualidades não a poupam da brutalidade dos escoceses que atacam o castelo de seu pai na noite em que ela escolheria um noivo. As festividades transformam-se em derramamento de sangue e terror. Isabel é raptada e entregue a um líder escocês para servir-lhe de escrava... Ou coisa pior.

Anvrai d'Arques traz no rosto as marcas das batalhas que enfrentou por lealdade a seu rei. Ao tentar salvar a vida de Isabel, Anvrai é capturado e feito prisioneiro. A doce Isabel desperta em Anvrai uma ardente paixão, embora o valente guerreiro não ouse esperar que seu sentimento seja correspondido.

No entanto, ao se aventurarem numa fuga arriscada por aquele país à beira do conflito, Anvrai descobre o brilho do desejo nos olhos de Isabel. Perseguidos por inimigos implacáveis, Isabel e Anvrai têm de enfrentar uma árdua batalha para salvar a si mesmos, seu povo e um amor que tem o poder de libertá-los para sempre!


Meu Comentário:

Anvrai d’Arques teve uma infância difícil, aos oito anos foi brutalmente mutilado, perdeu um olho e ficou com a face esquerda cheia de cicatrizes, além do globo aonde devia estar o olho vazio.

Cresceu sendo forte, mas acreditando ter falhado em não impedir o assassinato da irmã e da mãe, mas sinceramente o que um menino de oito anos poderia fazer contra bárbaros guerreiros experientes?

Quando se inicia esse livro ele está com 27 anos, está numa festa na fronteira com a Escócia representando seu melhor amigo e suserano, junto aos nobres.

Quando vê a jovem Isabel em meio aos lords “perfeitos” se encanta, mas sabe que jamais teria uma chance, já que nenhuma mulher se aproximaria dele de livre e espontânea vontade.

Num ataque inimigo Isabel é seqüestrada junto com o noivo por ela escolhido, e Anvrai parte para resgatá-la.

Isabel é a mocinha ideal para Anvrai, forte, corajosa e destemida meio que salva o Anvrai também e eles partem tentando voltar para as terras de seu pai.

Nesse ínterim como não poderia deixar de ser ela se apaixona por Anvrai, mas ele se recusa a aceitá-la.

Na jornada para casa, muitas coisas acontecem, e eu confesso que tive vontade de bater no noivo escolhido por ela, Anvrai, no entanto se revela cada vez mais encantador.

Isabel doma a fera e consegue que Anvrai comece a usar o tapa-olho, com certeza esse episodio é um capitulo a parte. Apesar de o tapa-olho ocultar um pouco das suas cicatrizes, somente um grande amor poderá lhe curar as cicatrizes da alma.

O final é lindo e surpreendente. Mas Margo não nos dá o tão esperado Epílogo e por isso fiquei com gosto de quero mais.


Enfim, esse livro é um dos intocáveis e merece nota 10.
Reações:

Um comentário :

  1. Ora, não foi à toa que você ficou tão apaixonada por Anvrai D'Arques, cavaleiro de um olho apenas, Mara D'Arques, Lady D'Arques !!! Ele é magnífico e portentoso, com caráter irrepreensível, mas foi uma peninha ele ter ficado tão traumatizado com sua tragédia, embora seja muitíssimo compreensível também: eu iria querer vingança sangrenta e violenta contra quem matou minha irmã, minha mãe, meu pai ...

    ResponderExcluir