segunda-feira, dezembro 21, 2015

Ciao!!!



Lois Lane?! Lois Lane uma ova!
Jornalista intrépida e sem limite é Lydia Grenville, mesmo com o último dos Mallory canalhas no pé dela.

O Último dos Canalhas – Loretta Chase – Arqueiro
(The last hellion - 1998)
Personagens: Lydia Grenville e Vere Mallory, duque de Ainswood

Lydia Grenville é a destemida jornalista que denuncia as vítimas das mazelas de Londres e cobra providências das autoridades. Para salvar uma jovem de ser levada por uma das mais cruéis cafetinas, arruma um escândalo que atrai a atenção de Vere Mallory que vem pra complicar e termina caído no chão após levar um soco. Então derrubar Lydia do pedestal se tornou meta de vida de Vere. Obviamente, os planos dos dois vão sofrer muitos problemas, contratempos e surpresas que vão tirar ambos do prumo. Quem leva a melhor nesse duelo de titãs?

Comentários:

- Lydia construiu uma reputação como jornalista que lutava pelos desvalidos e que não tinham voz. Não temia comprar briga, literalmente, para proteger inocentes de serem enganados e mostrar aqueles que eram ignorados pelos ricos e políticos. Em uma dessas aventuras, ela esmurrou e derrubou o duque de Ainswood, o último dos canalhas. Foi o pontapé pra uma disputa de gato e rato entre o nobre que não tinha noção de moralidade e a jornalista justiceira/encrenqueira (dependendo do ponto de vista). 
Se me incomodar de novo, Ainswood, eu vou machucar você de verdade.
Ah, sim, e o último Mallory canalha tremera que nem vara verde. Estava muito aterrorizado. Ele, que enfrentara lorde Belzebu e seus 2 metros de altura brutalmente assassinos. Quantas vezes Dain já não havia feito ameaças semelhantes no mesmo tom grave e mortal? Como se uma voz ameaçadora fosse dar calafrios em Vere Mallory.Será que a Srta. Ivan,  a Terrível, acreditava que podia intimidá-lo?” (p. 94)
 - Desde o soco, Vere se sentiu enormente atraído por Lydia. Primeiro, com a desculpa de honrar o orgulho ferido ao ser derrubado por uma mulher-dragão. Depois porque ficou curioso com o que ela fazia. Por fim, perdia as estribeiras com os lugares aonde ela ia para buscar informações ou investigar. Ele passou a ser a mais irritante pedra no sapato dela, metendo o bedelho onde não era chamado nem necessário. Interferindo nas missões importantes e arriscadas que ela tentava realizar. Passou a ser automático e imprescindível na vida dele. E olha que o moço que se julgava tão esperto, demorou a atinar que as razões iam além.

- Não precisou de muito no início para eu me tornar #TeamLydia. E cá entre nós, no confronto inicial entre eles, Vere não colabora muito para despertar a simpatia de qualquer garota. Ainda mais uma alta, que usa óculos e também é jornalista. E também já encarou uma cota de machistas e misóginos pelos caminhos da vida. Então quando Vere menosprezou Lydia e o que ela fazia, tive ganas de liberar meu Hulk anterior e entrar no livro para esmagar. Mas Lydia foi muito mais rápida que eu... O que eu amei! Tá pensando o quê? Parvas tontas não estão disponíveis nesta série, para minha alegria!!!!

- Embora, depois do cartão de visita desprezível, a autora se dedique a desvendar – inclusive nas entrelinhas – o canalha além da aparência. Ele tem salvação e você vai gostar de descobrir isso. Claro que ele não vai virar o último santo que abalou a sociedade inglesa. Digamos que ele vai se tornar uma mistura muito melhor e menos perdida no mundo. Algo tipo 99% canalha, mas aquele 1% nham nham redimido. Da mesma forma, sabemos que Lydia não é totalmente durona. Ela tem motivações pessoais nas atitudes que toma, mas nem sempre é infalível. A jornalista consegue lidar com os piores seres humanos e também com os mais confusos e os que querem apenas uma chance. E lida bem com as encrencas em que se mete no profissional e no pessoal, quando o duque resolve se tornar um personal carrapato e depois cisma de avançar umas casinhas um tanto inapropriadas (mas compreensivelmente sedutoras) no tabuleiro social. E vou parar por aqui para que a curiosidade de vocês os instiguem a apurar esse caso/casório/fuzuê por conta própria.

- Se você gostou e está com saudades do Lorde Belzebu e de Jessica Trent, a mulher que o “colocou nos trilhos”, pode ficar feliz porque, assim como Ainswood apareceu no livro deles, ambos estão de volta aqui. E não é para visitar, não. Além de rir da “desgraça alheia” (sempre é mais divertido quando OUTROS estão vivendo a confusão de estarem apaixonado e não admitirem nem a pau), exercem papel importante no desenrolar da história. Além de vários coadjuvantes que influenciam, ajudam ou complicam o rumo da tumultuada e competitiva jornada de Vere e Lydia. E ainda tem Susan, uma mastim gigante que serve como termômetro do caráter dos personagens. Quando ela gosta, sai da frente. Quando ela não gosta, ative o Usain Bolt interno porque, se ela te pegar, ops...

É parte de uma série, onde os livros podem ser lidos de forma independente. Agora vamos esperar os outros livros por aqui.

Série Scoundrels

1. The Lion's daughter - Esme Brentmore e Varian St. George, Lorde Edenmont
2. Captives of the night - Leila Beaumont e Conde d'Esmond
3. Lord of Scoundrels – O príncipe dos canalhas – Jessica Trent e Sebastian Leslis Guy de Ath Ballister, “Lorde Belzebu”, marquês de Dain
3.5. TheMad Earl's Bride - Gwendolyn Adams e Dorian Camoys, conde de Rawnsley
4. The last hellion - O último dos canalhas - Lydia Grenville e Vere Mallory, duque de Ainswood


Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Um romance que eu fiz questão de caçar pelas livrarias até conseguir adquirir um exemplar após um esconde-esconde não muito camarada por parte de Lydia e Vere. Ótimo para quem não tinha esperanças sequer de vê-lo publicado neste país !!!

    ResponderExcluir