sexta-feira, dezembro 11, 2015

Ciao!!!



Para falar do mais recente livro do Harlan Coben que chegou ao Brasil - lançado pela Editora Arqueiro - convidei a Elis, que estava muito curiosa para conhecer o trabalho do autor! Elis, obrigada pela parceria! Confiram só o texto que ela escreveu especialmente para o Literatura de Mulherzinha!

***

Eu tenho um certo TOC nas minhas leituras, se o livro faz parte de uma série, eu quero ler na ordem mesmo quando dizem que não é necessário. A série de Myron Bolitar, portanto sempre foi um desafio já que a Editora Arqueiro não conseguiu publicar os livros na ordem. Mas quem já leu sempre incentiva a leitura, a curiosidade mexia comigo porque gosto muito de histórias de investigações.

Quando a Beta me deu a oportunidade de ler Detalhe Final, resolvi aceitar por querer que esse fosse o primeiro passo para me jogar nos livros do Harlan Corben.

“De repente Myron percebeu tudo: devia ter magoado o amigo. Parecia estranho, mas provavelmente era isso. Win podia ser um sociopata aristocrático de sangue azul, mas, ainda assim, era mais ou menos humano. Os dois eram inseparáveis desde inseparáveis desde a faculdade, e Myron desaparecera sem dar sequer um telefonema. De certa forma, Win não tinha ninguém além dele.” (pág. 11)

O livro começa com Myron fugindo de algum acontecimento e seu amigo Win vindo em sua busca para avisá-lo que Esperanza, outra amiga, estava sendo acusada de um assassinato. Confesso que isso já me subiu uma aflição... TOC de leitura lembra?

Myron então volta para Nova York para ajudar Esperanza e descobrir o que realmente aconteceu com Clu Haid, um jogador de beisebol que tinha um histórico problemático. Começa então uma corrida contra a tempo e Myron se vê imerso tanto nas pistas que vão surgindo quanto as conseqüências de ter “desaparecido” por tantas semanas.

Ele parece ser exatamente o que é, um ex jogador de basquete que agora é agente esportivo, mas há tantas camadas e uma não desacredita a outra, só trás mais possibilidades para a história. E a devoção dele aos amigos e à família é algo tocante e inspirador. Eu que nunca tinha ouvido nada sobre o Myron, me vi querendo fazer parte do seu circulo de amizades.

A parte da investigação policial é fabulosa, realmente perdi muito deixando para depois me envolver com a escrita de Harlan Corben. Cada coisa que Myron descobre o coloca mais fundo em um poço de confusão.

“A investigação de assassinatos nunca faz sentido completamente. Há sempre defeitos no tecido da lógica. Falhas inexplicáveis.” (pág. 81)

Myron passa por algumas situações no mínimo curiosas, e algumas bem dolorosas, seu mecanismo de soltar piadas quando está nervoso não o ajuda muito, mas não seria Myron se ele não falasse suas gracinhas ou deixasse de beber seu achocolatado preferido.

O crime é bem esclarecido, entendemos todas as motivações e tudo o que levou aquele momento fatal. Como fã do gênero, amei muito.

“Você está confundindo a coisa certa com a coisa legal ou aparentemente moral. Mas esse não é o mundo real. Às vezes os mocinhos desrespeitam as regras, porque sabem a diferença.” (pág. 298)


Mas se você é como eu e tem um TOC de leitura, pode terminar o livro um pouco frustrado. O livro mostra bem como são Myron e seu circulo, porém não sabemos o que os levaram até esse livro. O que houve antes para deixá-los naquele ponto? O autor já vem construindo os personagens há algum tempo então não sente obrigação de recontar nada, o que claro faz todo sentido.

Então o objetivo que eu tinha ao começar o livro mesmo sabendo que ele era o sexto da série foi atingido. Agora eu quero mesmo conhecer Myron e seus amigos. Não vejo a hora de ler os outros livros da série.


Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Fazer um roteiro sobre uma história de crime para transformá-lo em um livro não pareceu ser nada fácil nunca ! Principalmente precisando torná-lo verossímil, pondo sentindo em seu resultado final de trama !

    ResponderExcluir