domingo, dezembro 06, 2015

Ciao!!!




Gente do céu, li um livro da Sara Craven e gostei.
Tem vingança, tem gente indefesa, tem gente sofrida. E eu gostei!

Vingança Arriscada – Sara Craven – Paixão 420
(The price of retribution – 2012 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Tarn Desmond e Gaspar Brandon

Tarn voltou para a Inglaterra para ajudar Evie, a irmã adotiva que estava internada em uma clínica após uma tentativa de suicídio. Por conta das correspondências que recebia e das informações dela e da mãe adotiva percebeu que o culpado era o milionário Gaspar Brando. Por isso, resolveu vingar a prima, que tinha sido abandonada pelo noivo milionário. Conseguiu as circunstâncias favoráveis, criou uma trama tão complexa que não percebeu que nem ela sairia impune.

Comentários:

- Sim, vamos compartilhar o choque. Muitas vezes reclamei de livros da autora que lembravam demais um daqueles Julia/Sabrina/Bianca das antigas, onde homens todo-poderosos fazem gato e sapato de vítimas indefesas que mal conseguem lutar contra isso e no fim há a descoberta de algo que eles insistem em chamar de amor. Então, pela minha flagrante incompatibilidade, não priorizava lançamentos da autora. Aí li o resumo e pensei em dar uma chance.

- Temos duas histórias em andamento aqui e o leitor percebe ambas. Motivada pelo sofrimento da irmã adotiva e pelo sentimento de lealdade para com a família que a criou, Tarn deixou o emprego estável e bem-sucedido como editora de uma revista para passar um tempo na Inglaterra e ajudar a família. Ao chegar descobriu que a mãe adotiva estava proibida de falar com a filha, que estava internada em uma casa de repouso rigorosa. Com base nas cartas, no diário e no pouco que conseguiu falar com Evie, Tarn decidiu que o culpado pelo colapso nervoso e do estado deplorável dela foi Gaz. Articulou um plano para encontrá-lo e, ciente do seu poder de sedução, fazer-se notar por ele. O que realmente ocorre.

- À medida que o relacionamento evolui, a princípio como patrão-empregada e em seguida mais íntimo, Tarn não só encontra evidências de tudo que Evie narrou era verdade. E sempre em que pensa em titubear, algo acontece reforçando a decisão original (não só dela. Até a melhor amiga que sempre foi contra a vingança, se viu convencida). Algumas situações estranhas e mal-explicadas são deixadas de lado, porque todas as peças se encaixavam. No entanto, Tarn não contava se interessar de verdade pelo carrasco da irmã adotiva e de ficar sem encontrar uma forma de conciliar a missão com o que ela queria de verdade.

- A outra história que anda aqui é a de um homem que se interessa e se apaixona por uma mulher sem se dar conta de que ela queria se vingar dele por causa de um rompimento no passado. Gaz seria o perfeito miliardário apaixonado à primeira vista se todo mundo (personagens e leitores) não soubesse do que ele era capaz, para se descartar de quem não o interessava.

- Sara Craven pegou a trama padrão da vingança e fez algumas mudanças. Temos uma vingadora ao invés do todo-poderoso de sempre. E Tarn não é uma tola. É uma mulher inteligente e articulada, dona de uma carreira bem estabelecida e extremamente ligada à família que a adotou quando ela não tinha ninguém que cuidasse dela. Temos Gaz que está longe de ser uma vítima indefesa, mas o vilão imbatível que se torna “fraco” ao se interessar pela sexy vingadora. E embora eu já suspeitasse de que algo fosse ocorrer no clímax da história, a autora mais uma vez me deu uma reviravolta ao esclarecer quem era o quê na trama (dentro daqueles rótulos que usamos: bem, mal, inocente, culpado, antiheroi). Mesmo aquilo que geralmente acontece a jato e me estressa, aqui fez um sentido tão grande, que nem eu, no auge do modo chatice de blogueira escorpiana, me atrevi a contestar. Agora espero que outra pessoa leia e me diga se eu realmente entendi o livro ou delirei alegremente enquanto lia...


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. kkkkkkkkkkkkkkk... O final da sua resenha me fez rir muito!

    Ai, eu quero ler essa história! Faz muito tempo que não leio nada da Sara Craven. É uma autora da qual gosto muito, mas que tem algumas histórias difíceis de tolerar.rs

    Essa vai para a lista de futuras leituras! :D

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Bem, uma vingança tem de ser muito bem planejada para ter sucesso, sendo muito fácil voltar-se contra nós a qualquer momento. Mas eu adorei essa notinha sobre ele ser um vilão nada inocente, enfraquecido pelo sentimento.

    ResponderExcluir