sábado, outubro 10, 2015

Ciao!!!






Devagar e sempre vou cumprindo a promessa antiga de reler toda a série MacGregor e dar a cada livro o post que merece no Literatura de Mulherzinha (afinal de contas, alguns já estão no Cap. 20). Ainda mais porque quando consegui fechar a série, #MadreHooligan confiscou. E quando ela me devolveu, a pilha de leitura já estava “ao infinito e além”.
E eu tinha um motivo muito especial pra ler este livro.

Encanto da Luz – Nora Roberts – Harlequin Destinos 64
(One Man’s Art – 1985 - Silhouette)
Personagens: Genviève Grandeau e Grant Campbell

Genviève fugia de um trauma, na busca por paz interior, encontrou inspiração em Windy Point, no Maine. Só que no caminho para o chalé tranquilo, um defeito no carro a deixou à mercê de uma tempestade e a obrigou a pedir abrigo em um farol. Grant detestava ser interrompido e visitas. No entanto, não foi capaz de recusar ajuda. Foi o início da história de paixão, amor e teimosia entre o recluso morador do farol e a vibrante artista plástica, que terá como espectadores os integrantes de uma família muito unida e muito apaixonada...

Comentários:

- O motivo de eu ler esse livro está no último da série Um vizinho perfeito. Grant e Gennie são os pais da incrível Cybil, uma das minhas personagens favoritas relacionadas à família MacGregor. Lá é citado um resumo da história dos dois e temos uma demonstração do nada agradável temperamento de Grant Campell. No entanto, na época, o livro não tinha sido lançado no país, então tive que esperar pacientemente isso ocorrer... Enfim, demorou, mas chegou a vez dele.

- A tempestade levou Gennie à porta de Grant precisando de ajuda. Ele não foi a mais simpática e solidária das criaturas, mas pelo menos ajudou. Depois da noite no farol e da ajuda a contragosto para achar o chalé que ela havia alugado, Grant achou que teria o sossego de volta, sem ser incomodado por uma mulher linda e encantadora como uma sereia. Só que ela continuou nos pensamentos e na vizinhança dele. Afinal de contas, escolheu justo um ponto do terreno dele para pintar a batalha do rochedo contra os diferentes humores do Oceano Atlântico.

- O confronto do ogro recluso antissocial e da garota vibrante e extrovertida é marcado pela explosão de uma paixão entre eles. E para nossa surpresa, ambos reconhecem mais que isso os unindo. No entanto, não será fácil. Não é à toa que eu citei “teimosia” antes. Eles precisam realmente entender o que significa o amor que professam sentir. De certa forma, ambos ainda não estão preparados para viver plenamente o que sentem. Precisam resolver pendências – doídas – internas, traumas do passado para superarem as barreiras. Ela é mais rápida que ele. E ver Grant penando compensa.

- Aí você olhou os sobrenomes e pensou: mas como este livro está na série MacGregor se eles não são da família? Ah, mas o conceito de família é muito amplo. Grant é irmão de Shelby, esposa do Alan, filho mais velho de Daniel e Anna. Até mesmo Gennie é mais ou menos aparentada do pessoal. A prova de que o mundo é a gema de um ovo de codorna. E se nosso casamenteiro favorito aqui é só plateia – uma plateia bem satisfeita, diga-se de passagem – a nossa felicidade aumenta quando os MacGregors entram em cena.

- Amo Nora escrevendo famílias. Ela é capaz de criar dinâmicas que a gente reconhece, identifica e se diverte. Mesmo quem, como eu, está relendo a série fora da cronologia (cortesia do meu ascendente geminiano zueiro), não se perde. As implicâncias, as menções a fatos deles, a personalidade de cada um bem definida. A gente se sente acolhido, como se estivéssemos lá com eles, como se também fôssemos MacGregor.

(Recado para Daniel MacGregor: já que sou uma parente honorária, tenho um marido perfeito em mente para mim. E olha que ótimo: é filho de pai escocês. Sangue bom, como você mesmo diz. Me liga que te passo um resumo para sua avaliação. Graaata!!!!)

Depois de ler esta trama, se encantar com cada um deles e torcer pelo protagonista, fica fácil entender porque Cybil é tão esfuziante e incrível como é. Saiu aos seus.

Série Os MacGregors (The MacGregors)
1. Jogo da Sedução - Playingthe Odds (1985) – Serena MacGregor e Justin Blade 
2. Destino Tentador - Tempting Fate (1985) – Caine MacGregor e Diana Blade 
3. Orgulho e Paixão - All the Possibilities (1985) – Alan MacGregor e Shelby Campbell 
4. Encanto da Luz - One Man's Art (1985) – Genvieve Grandeau e Grant Campbell, 
5. Hoje e sempre - For Now, Forever (1987) – Anna Whitfield e Daniel MacGregor 
6. RebeldeRebellion (1988) – Serena MacGregor e Brigham Langston
7. Um mundo novo - In From the Cold (1990)
 – Allanna Flynn e Ian MacGregor 
8. Instinto do amor - The MacGregor Brides (1997) - Julia, Gwen e Laura 
9. Beijos que conquistam - The Winning Hand (1998) – Darcy Wallace e Robert MacGregor Blade 
10. Amor nunca é demais - The MacGregor Grooms (1998) – D.C., Duncan e Ian 
11. Um vizinho perfeito - The Perfect Neighbor
 (1999) – Cybil Campbell e Preston McQuinn


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Obrigado!! Amei a resenha e amei ganhar o livro! Agora é aguardar chegar!! #NoraDay2015!!!

    ResponderExcluir
  2. Um farol nunca seria meu lugar preferido para uma aventura ou para um romance porque eu não vejo beleza alguma em um farol. Ele bem que poderia ter escolhido uma cabana à beira mar para ficar recluso. Mas eu tenho esse romance e todos outros nove volumes dessa série, à espera de sua vez de leitura, então declinarei de concorrer a um volume (sequer para presentear um fã porque sou muito egoísta !).

    ResponderExcluir