sábado, agosto 01, 2015

Ciao!!!



Ah, Connor  *suspiros*.
Com a Nora é simples: a gente já sabe quando e como vai gostar de um personagem.
Ao mesmo tempo, sabe também que vai precisar controlar a vontade de fazer uma “recalibração cognitiva” (vou passar o resto da vida agradecendo à Viúva Negra por me apresentar esta técnica) em outra criatura do livro!

Feitiço das Sombras – Nora Roberts – Arqueiro (Trilogia Primos O’Dwyer 2-3)
(Shadow Spell - 2014)
Personagens: Meara Quinn e Connor O’Dwyer

Ainda tentando entender o que deu errado na batalha contra Cabhan, o grupo se reúne para recuperar as forças e estabelecer as novas estratégias. A luta e a proximidade fazem finalmente Connor e Meara entenderem que sentem muito mais que amizade um pelo outro. Connor é um romântico confiante em si mesmo e em como o amor pode melhorar as pessoas. Já Meara, pela história familiar complicada, não consegue acreditar que os laços formados podem ser permanentes. E Cabhan está à espreita por qualquer fraqueza para quebrar o círculo entre os bruxos e amigos que pode finalmente derrotá-lo.

Comentários:

- Quero um Connor pra mim. É uma pessoa normal. Romântico sem ser uma overdose de açúcar. O moço toca a vida com um ou outro relacionamento desejando, sem ser desesperadamente, um amor de verdade. Ah, ele conversa com falcões, é um gentleman, está sempre com fome, amigo de todas as horas e ainda orienta o antepassado que o visita em sonhos. Como não querer este homem mil e uma utilidades, gente?!

- Enquanto isso, ele se prepara junto com a irmã Branna e a prima Iona e os amigos Fin, Boyd e Meara para a próxima batalha com Cabhan, já que a primeira não terminou como eles esperavam. Branna está encucada para saber onde eles erraram e permitir que o reencontro seja fatal para o bruxo que há séculos espalha o mal, corrompe pessoas e cobiça o poder da família deles.

- Entre os ataques sorrateiros, Connor se vê próximo de seu antepassado, com sonhos invadidos para bem e para mal e ainda com os sentimentos meio confusos em relação à melhor amiga, Meara. Se você perguntar à Branna, ela diria que “até que enfim os dois se deram conta do que era óbvio”. Mas é sempre assim, as próprias pessoas são incapazes de perceber o quanto estão envolvidas.

- O que temos Connor está disposto a avançar no compromisso, ao perceber que segurou os sentimentos por tempo demais, temos Meara reticente por qualquer tipo de envolvimento. Vinda de uma família aparentemente perfeita que se desmanchou quando o pai foi embora, abandonando a esposa, ela e os irmãos, Meara não assume, mas não quer se apegar por medo de ser deixada para trás novamente. Complexo de patinho feio causado por negligência paterna, eu consigo entender. O que eu não consigo entender é um homem como o Connor declarando amor e a criatura recusando. Isso é pra acabar com a paciência de Jó. Só pode.

- Entre as idas e vindas do casal protagonista, os acertos, desacertos, as discussões porque ele quer protegê-la e ela não quer ser uma “donzela em perigo” nesta guerra que estão envolvidos, os problemas da família dela, o fato de achar que é o “elo mais fraco” do grupo por não ter poder. E subitamente estar no foco de Cabhan para o ataque.

- O que me estressou um pouco foi a quantidade de vezes que o povo tem refeições. Sério. Parecia um daqueles programas de culinária onde todo dia tem uma receita nova do caderno da Brenna. Aliás, não sei como ela consegue dar conta de manter a loja dela, buscar a salvação de todos contra o mal se está quase sempre alimentando todo mundo. Entendo que o poder consome energia que precisa ser reposta, mas haja capacidade criativa. Para deixar Ratatouille e MasterChef com inveja. Ah, há repetição de dinâmica, com uma festa do grupo interrompida por um ataque do ser maligno (mas agora estou incerta se esta cena está no A Bruxa da Noite porque me lembro de algo muito parecido no A Cruz de Morrigan. Se bobear, está nos dois. Só não posso checar agora porque o acesso aos livros não está fácil).

- Outro ponto que me causou frustração foi que eles passam o livro inteiro planejando um ataque que é narrado de forma vapt-vupt. Claro que tem um terceiro livro – Branna e Fin precisam resolver a encrenca-monstro entre eles (e estou sentindo que vou ficar muito irritada com ela) – mas este embate poderia ter sido mais explorado. A menos que o próximo livro comece imediatamente na cena seguinte. Mas aí terei que esperar um pouco para saber.

Trilogia Primos O’Dwyer
1. Dark Witch Bruxa da Noite - Iona Sheenan e Boyle McGrath
2. Shadow Spell Feitiço da Sombra - Connor O’Dwyer e Meara Quinn
3. Blood Magick Magia do Sangue - Branna O’Dwyer e Finbar Burke


Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Herói de romance conquistando leitora nesta postagem sem sombra de dúvida !!! Mulher alguma em seu juízo perfeito recusaria um homem protetor e romântico em medida certa !!! Ou seja: sem ser colante e meloso irritantemente !!! Entretanto essa heroína é mais um exemplo literário de que deus dá nozes pra quem não tem dentes !!! Mais uma trilogia interessante para minha lista de compras futuras !!!

    ResponderExcluir