sábado, dezembro 06, 2014

Ciao!!!



E finalmente, eis a 1ª história do último livro da série Os Corretti da Sicília chegando ao Literatura de Mulherzinha. Neste volume 4, as duas tramas tratam dos três envolvidos no fato que desencadeia todas as tramas: o casamento que não aconteceu entre as famílias Corretti e Battaglia. Na 1ª trama, vamos saber o que aconteceu com Alessandro, o noivo abandonado no altar.

Notícias escandalosas – Caitlin Crews – Paixão Sagas 17 (Os Corretti da Sicilia 4/4)
(A scandal in the headlines – 2013 – MB Sicilian Scandals)
Personagens: Elena Calderon e Alessandro Corretti

Querendo se afastar da Sicilia e do escândalo de ter sido abandonado no altar, Alessandro foi para o iate, disposto a ter uns dias de folga e longe da família que tanto o consumia ser o “patriarca”, após a morte do avô, do pai e do tio. Ao encontrar a única mulher que desejou – e que lhe era proibida – trabalhando no navio, teve a certeza de que ela estava ali para espioná-lo e tratou de tirar vantagem disso. Elena estava fugindo de um ex-noivo agressivo e foi parar ao lado do maior inimigo dele, um homem que em nenhum momento parou para considerar outro ponto de vista, o dela.

Comentários:

- Com o orgulho ferido de ter sido abandonado pela noiva por conveniência no altar – e tudo indicava que o motivo era o primo -, e por se ver envolvido em um escândalo, Alessandro quis se isolar do mundo e do variado repertório de escândalos e confusões da família. Ao chegar no iate, reencontrou a mulher que desejou durante uma noite de Roma até descobrir que ela era noiva de Niccolo Falco. Claro que ele não hesitou em concluir que ela era uma espiã enviada pelo noivo e que deveria ser mantida afastada de tudo, exceto da cama dele (afinal de contas ela era uma prostituta...). Entenderam o raciocínio? Pois é, nem eu, vamos fazer de conta que faz sentido (nem que seja só pra ele) e seguir a história.

- Claro que eles vão se envolver, claro que Alessandro vai testar os limites da paciência de um ser humano, com aquele comportamento típico e patético de que ele está acima de tudo e de todos, que sentir desejo por Elena o rebaixa e que ELA tem que sofrer por isso. E ainda fica irritadinho quando Elena lembra que não há santos que abalaram o mundo na família que ele tenta liderar rumo à legalização. Em vários momentos tive vontade de pegar o martelo do Thor emprestado para ter um “momento Bam-bam”. Não é porque ele estava sofrendo – e nem era por amor, ela por não ter cumprido o DEVER com a família e por ter sido LARGADO pela noiva que era parte de um acordo – que ele tinha o direito de sair por aí sendo um ogro siciliano com leve verniz de civilidade.

- E a pobre da Elena tem que aturar a criatura por um período até ambos terem certeza de que podem continuar a vida. É uma protagonista daquelas que sofre horrores e ainda acredita que tenha sido culpada pelo próprio sofrimento. Ela fez escolhas que outras pessoas poderiam fazer, talvez pelos mesmos motivos, por achar que merecia um príncipe, que na verdade era uma daquelas criaturas que merecia ser trancado e jogar a chave fora. Mas ninguém merece sofrer e não encontrar apoio para sair disso. Porque Elena não teve e restou a ela fugir. Sair do fogo pra cair na fogueira.

- Claro que teremos o momento das cartas da mesa e da redenção do protagonista, para se tornar o que sempre quis ser, “o homem que faz a coisa certa”. Só que ele tem que lidar com a (óbvia) desconfiança dela, que por tudo que passou com ele e com Niccolo, tem motivo de sobra para não acreditar em príncipe encantado. Gostei que as coisas não se resolveram facilmente (aliás, gostei especialmente de que Elena não poupou de jogar na cara dele ofensas que disse para ela). Gostei de entender que ele foi mal criado, no sentido de que o pai e o avô queria perpetuar a fama dos Corretti monstro e implacáveis. Acho que isso poderia ter ficado mais claro desde o início – essa briga do “lado bom” e “lado mau” deixaria menos antipática a postura inicial de Alessandro.

- Em meio aos mesmos pontos que tornam a série irregular, como a falta de um gráfico que explique a família (este é o 7º livro e me perdoe, ainda não sei quem é filho de quem, porque li vários outros livros entre eles e haja memória), como coisas que são dadas como certas pelos personagens mas que a gente não entende (faltou detalhamento de algumas características dos “temidos” Corretti e ainda dos problemas de relação entre eles), ainda se torna uma boa leitura sobre gente que tira conclusões e quebra a cara.

Série Os Corretti da Sicília

Prequel: Uncovering the Correttis  – Carol Marinelli – não foi lançado (Emily Hyslop e Anton Sorrano)
Legado de Silêncio  – Carol Marinelli – Paixão Sagas 14 (Os Corretti da Sicilia 1/4) - Ella e Santo Corretti
Convite ao pecado – Sarah Morgan – Paixão Sagas 14 (Os Corretti da Sicilia 1/4) – Taylor Carmichael e Luca Corretti
Sombra de culpa – Abby Green – Paixão Sagas 15 (Os Corretti da Sicilia 2/4) – Valentina Ferranti e Gio Corretti
Herança de desonra – Kate Hewitt – Paixão Sagas 15 (Os Corretti da Sicilia 2/4) – Lucia Anturri e Angelo Corretti
Sussurros de tragédia – Sharon Kendrick – Paixão Sagas 16 (Os Corretti da Sicilia 3/4) – Rosa Corretti e sheik Kulal
Frágil fachada – Lynn Raye Harrsus – Paixão Sagas 16 (Os Corretti da Sicilia 3/4) - Lia Corretti e Zach Scott
Notícias escandalosas – Caitlin Crews – Paixão Sagas 17 (Os Corretti da Sicilia 4/4) – Elena e Alessandro Corretti
Fome pelo proibido – Maisey Yates – Paixão Sagas 17 (Os Corretti da Sicilia 4/4) – Alessia Battaglia e Matteo Corretti

- Links: Harlequin Store e blog (onde algumas autoras falaram sobre o trabalho delas na série); texto da editora assistente Pippa Roscoe sobre os bastidores da série; Goodreads sérielivro e autorasite da autoraoutros livros dela no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta 
Reações:

Um comentário :

  1. Ora, estava custando para que surgisse um italiano cabeçudo machista tradicional nesta história, mas eu adorei saber que verei este sujeito receber contragolpes de seu veneno próprio nesta história. Muitíssimo agradável !!! Um romance que encontra-se em meu poder para ser lido quando seu momento chegar, embora eu tenha uma simpatia certa por ele devido à sua posição de tornar-se patriarca de família ...

    ResponderExcluir