sexta-feira, janeiro 17, 2014

Ciao!!!



Início de uma série (acredito que seja trilogia, mas não consegui confirmar), de uma autora que eu ainda não conhecia. Gostei do que li, mas com algumas ressalvas pessoais. Quem gosta do estilo, fará a festa com este início de uma série.

Teardrop (Lágrima) – Lauren Kate – Galera Record
(Teardrop – 2013)
Personagens: Eureka Boudreaux

Eureka é uma adolescente de 17 anos que está lidando com a morte da mãe e o fato de ter sobrevivido. Poucos a compreendem, não tem a menor ideia do tipo de apoio de que ela precisa e ela conseguiu se afastar da maioria que não sabia como lidar. Tendo que viver com a segunda família do pai, voltar à escola, às atividades cotidianas ainda parece algo estranho para ela. Mas as coisas estranhas relacionadas à Eureka estão apenas começando a aparecer... É um mistério muito maior do que qualquer imaginação dela.

Comentários:

- “- Nunca, jamais volte a chorar.” Esta frase é luz para a mosquinha escorpiana. Para as pessoas que não conhecem astrologia, explico: os nascidos entre outubro e novembro têm a fama de não gostar de demostrar emoções, a menos que seja algo que escape ao controle deles. Ou seja, algo no livro, voltado para leitores jovens adultos que gostam de histórias com toques mágicos, que era compreensível para mim.

- Eureka não sabe, mas há um grande mistério em torno dela (e de suas lágrimas). Algo que a coloca em perigo, coloca quem ela ama em perigo, pode ter provocado a morte da mãe dela... e algo do que ela não tem a menor ideia. Quem lê, percebe aqui e ali que tem algo errado, ainda mais porque a gente não é à toa que o “desconhecido” Ander surge na vida de Eureka. A escrita é muito boa, te prende nas cenas. A autora apresenta domínio do universo que criou. Como disse antes, não conhecia Lauren Kate, não me interessei em ler a série Fallen (para quem não sabe, tenho uma grande incompatibilidade com histórias sobrenaturais – salvo exceções), então Teardrop (Lágrima) foi a apresentação dela para mim. 

- Se o livro é bem escrito, tem mistério, personagens envolvidos em grandes causas, por que tive problemas com eles? Primeiro, totalmente pessoal, já quase afoguei duas vezes, portanto, é compreensível que um livro que começa assim e menciona várias vezes o impacto e a força da água me cause alguma agonia, né? Ainda mais em uma criatura tão impressionável como eu. Segundo, mais uma vez, a história só “anda” no terço final do livro. Antes a gente lida com a confusão de Eureka após a perda da mãe, o afastamento da rotina e das pessoas, a culpa por se sentir viva, o fato de ser forçada a ir a consultas com psiquiatras (aviso aos navegantes - péssima estratégia: contra a vontade e sem a confiança do paciente, não funciona). A autora tem um ritmo próprio para narrar o início da jornada de Eureka – a descoberta de quem é, a que está relacionada e as consequências disso. No meu caso, queria que tivesse sido um pouco mais rápido. E lembrando: é início de série, ou seja, o livro acaba sem a história terminar.

Série Teardrop (confirmados até agora - segundo Goodreads):

0.5. Last day of love (a Teardrop story)
1. Teardrop – Lágrima (2013)
2. Waterfall – sem título em português, lançamento previsto para 2014

- Links: Goodreads autora, série e livro, site da autora, perfil no Twitter e no Facebook.

Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Ah, esse sentimento terrível de culpa de sobrevivente ... Um ponto muito complexo para lidar ! Mas verdadeiro: um trabalho terapêutico não acontece se um paciente não quiser participar e trabalhar a respeito de si mesmo. Romance muito interessante !

    ResponderExcluir