sábado, dezembro 14, 2013

Ciao!!!





É Nora, faz parte de série, mas tive um probleminha durante a leitura...

Maddy – Nora Roberts (Os O’Hurley 2/4)
(Dancing to the piper - 1988)
Personagens: Maddy O’Hurley e Reed Valentine

Maddy estava às vésperas da estreia da peça pela qual lutara pelo papel de protagonista. A chance de ser uma stripper nos palcos mudaria para sempre – e para melhor – a sua carreira. Ao mesmo tempo, um encontro inesperado se tornou uma oportunidade de uma relação de amor como ela sempre quis. O problema é que Reed Valentine tinha sérios e fortes escudos emocionais e poderia não conseguir se tornar o que Maddy esperava.

Comentários:

- Confesso que o excesso emocional de Maddy me cansou muito ao longo da leitura. Se ela é contagiante, esfuziante, se joga nas relações e toma atitudes por impulso sem temer o dia seguinte, parabéns. Poucas pessoas conseguem ser assim. Agora, exigir que o outro reaja como ela quer só porque ela disse algo é um pouco demais, né? Ainda mais quando “o outro” sofre de um sério trauma emocional que não vai terminar só porque Maddy quer ou Maddy o ama.

- Reed tem um bloqueio sentimental por causa de um fato da infância dele. E em nenhum momento, ele mente para Maddy. O fato de ela confundi-lo e fazer com que ele, pela primeira vez, questione as convicções que o limitavam é altamente positivo. O que me estressou foi ela colocá-lo contra a parede quando ele ainda não havia se resolvido e se entendido o suficiente para saber o que fazer. As características que tanto tornam Maddy uma estrela – a fé, a capacidade de acreditar – neste momento me soaram como um capricho infantil. Tipo Baby, da Família Dinossauro: “Eu te amo e VOCÊ PRECISA ME AMAR!”

- No mais, acompanhamos os bastidores de um musical que estrearia na Filadélfia de olho nos palcos da Broadway e os bastidores de veiculação de músicas em rádios. E reencontramos Abigail e Dylan, casal do livro anterior, Chantel (protagonista do próximo) aparece aqui , Trace continua em algum lugar do mundo, mas sem romper os laços familiares, Frank e Mollie O’Hurley continuam divando. E a relação entre as trigêmeas é muito bonita de se acompanhar – nestas cenas até esqueci que estava achando a Maddy chatinha e infantil.

Série Os O’Hurley:

1 – Abigail – The last honest woman (1988) - Abigail O’Hurley Rockwell e Dylan Crosby
2 – Maddie – Dancing to the piper (1988) - Maddy O’Hurley e Reed Valentine
3 – Chantel – Skin Deep (1988) - Chantel O'Hurley e Dorian Quinn
4 – Trace –  Without a Trace (1990) - Gillian Fitzpatrick e Trace O'Hurley


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Engraçado, eu adorei Maddie e achei Reed um chato de galocha!

    Abraços, Renan.

    ResponderExcluir
  2. Seguindo pela contramão: não simpatizei nem com Maddy e nem com Reed !!!

    ResponderExcluir