sexta-feira, outubro 25, 2013

Ciao!!!


 E nesta sexta-feira, é a vez da série Desejo. Na carta para a leitora, publicada nesta edição, a autora conta que não gosta de esportes (não sabe o que está perdendo) e que nunca havia escrito um livro com um protagonista esportista (não sabe o que está perdendo²). Este é o primeiro dela neste estilo.

Coração Arrependido – Michelle Celmer – Desejo 188
(The Nanny Bombshell – 2012 – Harlequin Desire)
Personagens: Sierra Evans e Cooper “Coop” Landon

A morte do irmão e da cunhada tinha virado a vida de Coop do avesso. O ex-atleta playboy redefiniu a vida para cuidar das sobrinhas gêmeas que estavam órfãs. Mas ele não conseguiria sozinho, precisava desesperadamente de uma babá... E sem saber, escolheu a candidata perfeita: a mãe das garotas. Sierra entregara as filhas e, com a morte dos pais adotivos, se sentiu na obrigação de cuidar delas porque não confiava que um ricaço playboy fosse capaz. E se viu presa à omissão de não revelar a verdade a Coop.

Comentários:

- Não sei se há e qual seria o trauma causado por um “esportista” na vida da autora. Se existiu, ela resolveu exorcizar nesta história, fazendo Coop sofrer mais que filhote de gato abandonado na enchente. Ao contrário dela, eu adoro esporte e, portanto, me senti conectada com ele. Coop vem de uma vida cheia de perdas: perdeu os pais, virou adolescente rebelde que só não foi para a marginalidade porque o esporte – hóquei no gelo (confesso, esse é o motivode eu gostar de Hóquei no Gelo) – o salvou disso. Ele se tornou o maior astro do New York Scorpions (aham, preciso dizer que amei o nome do time?), uma contusão o obrigou a encerrar a carreira e agora ele estava na vida de pós-atleta com uma missão que, segundo ele, era pior que qualquer coisa que ele vivera no Hóquei: ser a referência de criação para as filhas adotivas do irmão e da cunhada.

- Por tudo que sabia a respeito de Coop, Sierra tinha certeza de que ele não seria um bom pai para as meninas. E ele não quis abrir mão da guarda delas. Só restou a ela abrir mão do emprego e se candidatar à vaga de babá. O salário seria útil para garantir o tratamento do pai e ela teria o bônus de ficar perto e acompanhar o crescimento das filhas. No entanto, não seria fácil se manter alerta o tempo todo e revelar o segredo. E também não seria fácil não resistir a um homem para lá de lindo e charmoso e que estava realmente se empenhando em cuidar das meninas. 

- E confesso que eu já achava a situação muito difícil de se lidar e com as circunstâncias criadas pela autora, foi de dar muita pela de Coop. O caminho dele rumo ao amor e à felicidade passa pela compreensão de si mesmo, das pessoas próximas e por entender decisões alheias. E nem sempre isso é fácil à primeira vista. Gostei do livro, apesar de estar longe do meu tipo favorito (que são as histórias que me fazem rir), é uma história bem contada sobre duas pessoas em busca de desejos que nem sabiam que tinham e, onde, óbvio, apenas a verdade – com todo o sofrimento embutido no pacote – será capaz de libertá-los,
  

Bacci!!!


Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Também gostei do livro, é bem escrito e os fatos conectados, mas acho que a autora forçou um pouquinho a barra com a história da mãe adotiva que vê uma oportunidade de ficar com as filhas que deu para adoção. Sei, lá, achei forçado.

    O Cooper é um mocinho muito humano, no sentido de errar e acertar, como todos nós fazemos. Achei um personagem verdadeiro. Gosto do estilo da Michelle Celmer. O Descobrindo a Paixão, que é dela também é muito bom também. Acho que você iria gostar.

    Bjs!

    Vale a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Mulher fazendo homem sofrer muito: OBA, OBA, OBA !!! Mas que comparação você fez: tadinho desse gatinho !!! Entretanto, eu concordo com Andrea: que mãe natural problemática !!! Mas se ela faz ele sofrer muito não está mais aqui quem falou !!! OBA !!!

    ResponderExcluir