sexta-feira, setembro 27, 2013

Ciao!!! 



O resumo indicava um impasse entre mocinha e mocinho pelo bem de terceiros.
Confesso: tive esperanças. Mas...

Paixão Selvagem – Margaret Possession – Sabrina 179
(Savage possession – 1979 – Mills & Boon)
Personagens: Melissa Grant e Ryan Trevelyan

Melissa estava de volta, fugindo de um casamento que a tia ricaça estava articulando para ela. Só que o  retorno para casa, que não seria fácil, conseguiu ser pior do que qualquer expectativa dela: se desentendeu com o senhorio da família, soube que a mãe e o segundo marido tinham um dívida elevada e estava disposta a agravar a imagem não muito boa que Ryan tinha dela. Saber que a solução dos problemas dependia de parar de ter um duelo de vontades com o patrão não era uma perspectiva animadora.

Comentários:

- Melissa seria uma personagem altamente identificável: traumatizada após a morte do pai e o súbito casamento da mãe, fez as malas e foi embora com a tia. Anos depois, ao se ver empurrada para um casamento que não queria, voltou para a casa onde crescera. E descobriu que a fama local dela não era muito boa e a família estava afundada em dívidas. E o fato do senhorio e patrão Ryan Trevelyan ser grosseiro não ajuda muito.

- Vítima do destino? Ah-hã. Pode tirar o pocotó da chuva. Para que a gente não torcesse pela mocinha, a autora a fez uma chata de galocha e mimada ao extremo. Acreditando que nunca teria nada além da vida abastada com a tia, nunca trabalhou e fugiu ao se ver confrontada com um casamento que não queria. E ao invés de buscar uma solução inteligente diante dos problemas que se apresentaram, parecia mais uma criança chiliquenta batendo o pé e se recusando a colaborar.

- Ah, Ryan também não ajuda muito não: sabe o personagem que se sente no direito de maltratar a parva, digo, mocinha, digo, enfim, você entendeu. Quais os crimes? Bem, Ryan se sente terrivelmente atraído por Melissa (que é descrita como uma jovem muito linda). Este é o primeiro. O segundo é o fato de ela sempre estar contra ele. O terceiro é que ela abandonou a mãe (aí eu acho que ele está metendo a colher onde não foi chamado, porque o problema era entre mãe e filha e isso não deveria incluir mais ninguém, especialmente aqueles que não sabem de nada!). O quarto é que ela não está levantando uma palha para ajudar a reerguer a família. E o sexto é que ela está sempre errada em tudo o que faz. E o sétimo é que ela precisa de alguém para educá-la correntamente. E ele se sente no direito e no dever de fazer isso.

- Eu acho que, devido às muitas insinuações feitas por outros personagens, estava esperando a hora em que chegaria o ultimato: se for pra cama do patrão, todos os problemas acabaram. Não veio. Bem, quase não veio. Enfim, leiam e tentem entender – ou não.

- Ah e o amor e a paixão? Deviam estar ali em algum lugar, porque não seria possível brotar do além no final, né?

- Links: Goodreads; Squidoo; Fiction DB e Fantastic Fiction autora.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. ZEUS: eu não sei mesmo ! Por que não brotar um amor de além nessa história onde seu amor deveria estar em algum lugar ? Talvez um fantasma roubasse cena !!!

    ResponderExcluir
  2. Destaca-se aqui a agressividade e crueldade do dito mocinho, a infantilidade irritante da dita mocinha, mas fazer o quê afinal é Margaret Pargeter, onde só tem mocinhos violentos X mocinhas retardadas. E mais, se contrói um livro de 97 pags onde a rival entra na pag. 17 e permanece até pag. 95 grudada no pescoço e aos beijos com o mocinho, saindo com ele em público para jantares, bancando a anfitriã na casa dele, cozinhando pra ele, e claro, dormindo na cama dele, e tbem, os dois juntinhos humilhando e agredindo fisicamente a mocinha. Aí nos dois últimos parágrafos, o cafajeste me sai com essa: Ohhh eu sempre te amei desde a primeira vez que te vi. Olha, não esquenta, meu caso com a outra é só uma besteirinha, nada sério! R.I.D.Í.C.U.L.O, nem dá pra chamar isso de romance! Tudo bem que é ficção, mas dava pra melhorar um pouquinho isso aí... cheio de pontas soltas... e o que aconteceu com a rival que todos diziam que iria casar com ele? Ele terminou com ela? Acreditou que a vaca esbofeteou a mulher que agora será sua esposa? Ou ela continuaria amiguinha e ele defendendo ela?

    ResponderExcluir