terça-feira, abril 30, 2013

Ciao!!!




Muitas vezes, as coisas se encaixam perfeitamente. Chame de destino, acaso, como preferir. Mas tentem imaginar a minha expressão ao descobrir que o ultimo post do Abril Imperdível 2013, comemorando 8 anos do LdM seria o de número 700. Isso mesmo: 700 posts, UAU! Presentaço!

Tinha que ser algo especial, né? Aí entra outro presente: o lançamento em março do livro O Último de Burgh, de Deborah Simmons. Ou seja, encerrando um ciclo na minha vida (e na de muitas leituras, que acompanham esta família há quase duas décadas). Então, para abrir este post, nada melhor que a palavra da autora (sim, escrevi para ela e pedi – e foi ao saber do lançamento. Merecia, né?):

I admit to tearing up when I wrote the final scene in The Last de Burgh. It is sad to say good-bye to characters I've been working with for nearly 20 years! But I'm grateful for the readers all over the world who have shared that journey with me.

Admito que me emocionei quando escrevi a cena final em O Útimo de Burgh. É triste dizer adeus aos personagens com os quais trabalhei por quase 20 anos! Mas estou grata pelas leitoras [e leitores] em todo o mundo que compartilharam essa jornada comigo”.

O Último de Burgh – Deborah Simmons – Harlequin Históricos 121
(The Last de Burgh – 2013 – Mills & Boon Historical Romance)
Personagens: Emery Montbard e Nicholas de Burgh

Nicholas se viu comprometido a encontrar Gerard, um cavaleiro hospitalário, que estava sendo perseguido. E sem ter todas as informações sobre a situação que em estava envolvido. Tinha a ajuda de um escudeiro tagarela e do irmão do tal cavaleiro, Emery. O problema é que eles também estavam sendo caçados e sem saber o motivo. Descobrir isso é apenas um dos mistérios que esta jornada reserva ao estranho grupo, sob o qual pairam ainda muitos segredos.

Comentários:

ANTES DE QUALQUER COISA, UMA MENSAGEM ESPECIAL PARA A TONKS: ERRAMOS TUDO! NÃO ACERTAMOS NADA QUE PODERIA ACONTECER NO LIVRO!

E AINDA -  A TÍTULO DE INFORMAÇÃO: quando o livro chegou aqui em casa, coloquei ele na mochila que sai comigo pro trabalho, de onde ele não saiu enquanto não terminei de ler. Só assim pra #madrehooligan não ler antes de mim. Leituras especiais, medidas drásticas.

- É um texto muito difícil de se fazer. Primeiro porque, como disse, é o fim de um ciclo. Afinal de contas, sinceramente, nem me lembro quando comprei os livros desta série (sei que o do Dunstan deu um trabalho danado pra achar), tivemos que esperar a editor lá fora corrigir uma bobagem tamanho monstro (sim, é verdade: eles romperam o contrato com a Deborah e anos depois a recontrataram. Me desculpem a franqueza: não entendi como conseguiram abrir mão de uma autora tão boa. Beira a estupidez. Basta questionar qualquer pessoa que leu O Lobo Domado ou Bodas de Fogo pra saber se estou falando bobagem) e depois esperar a publicação no Brasil (que foi até rápida a partir do lançamento lá fora).

- O segundo motivo que dificulta o texto é que não quero dar spoilers. E muitos dos comentários que eu gostaria de fazer são relativos a detalhes que entregam o que Deborah tinha em mente quando escreveu. Por isso, tomarei todo o cuidado. Se ficar algo sem pé nem cabeça, perdoem. Mas quero que vocês – especialmente a turma que está lendo desde que o Nicholas era um adolescente tentando ajudar os irmãos mais velhos, a essa altura, cada qual, enfrentando encrencas próprias – desfrutem da experiência.

- Porque vale a pena. A primeira regra é não compare com os livros anteriores. Sim, sei que o livro do Dunstan é endeusado merecidamente, um dos melhores de banca de todos os tempos – mas se lembrem de que eles não estão competindo. Estão vivendo a história que gira em torno das características marcantes de cada um e da jornada para encontrar/fugir/ficar/dobrar a companheira ideal deles.

- Nicholas está em uma longa viagem e se envolve no problema entre duas ordens de cavaleiros: um templário perseguia um hospitalário – esse pediu ajuda. Nicholas – e o falante e opinativo escudeiro Guy (ele é ruivo, sim, tive muitos momentos fofura *.* com o escudeiro palpiteiro) resolvem proteger o irmão do hospitalário, enquanto tentavam localizá-lo, entender o motivo da perseguição para que pudessem ajudá-los. Enquanto isso precisam resolver os próprios segredos e incertezas, e lidar com novas sensações que surgem e o medo de que não tivessem final feliz nesta jornada.

- Emery é a irmã gêmea de Gerard, o cavaleiro hospitalário encrencado. Gostei da atitude dela em vários momentos da história (a cena do banho no quarto me fez rir na rua, uma espécie meio estranha de solidariedade) e concordar com Guy quando ele fala que ela seria uma ótima aquisição para a família. Por questão de segurança, ela se disfarçou de rapaz e embarcou numa jornada com um cavaleiro honrado (e LINDO!), um escudeiro tagarela para tentar localizar e ajudar o irmão. Só que as coisas se complicam, eles são obrigados a ficar juntos e o disfarce se torna um problema, mais um, que eles precisarão lidar e resolver. Ao longo da história, temos várias pistas disso: há um mistério envolvendo Nicholas. Confesso que passei parte da leitura quebrando a cabeça (e até mesmo antes de ler, como vocês puderam perceber pelo recado para a Tonks) e errei todas as minhas hipóteses. Mas, ao longo do texto, você é guiado para compreender o que é, como interfere na trama onde o trio está envolvido e torcer por uma solução.

- Gostaria de falar muitas coisas, mas não quero estragar a experiência de vocês. O que posso dizer é que, em um dos posts surtados sobre o lançamento, ao saber da própria autora que Nicholas era o favorito dela (destronando Geoffrey) eu escrevi aqui: “E uma especulação: - Pro Nicholas ter se tornado o novo favorito da autora, destronando meu querido Geoffrey, o que o mais observador dos meninos de Burgh aprontou, hein, hein, hein, hein???”. Sim, você vai entender – fica muito clara a razão (se você se perder, o epílogo - que poderia ser maior - ajuda a esclarecer). Senti falta de uma profecia das tias l’Estrange para Nicholas, mas não teve. Há uma participação muito legal – que reforça o laço entre os meninos de Burgh, mesmo eles sendo tão diferentes. Adorei o Guy. Sério, adorei muito o Guy. Bem que poderia haver um livro spin-off sobre o escudeiro ruivo, né? (Aquela que ficou pensando saídas para o livro não acabar de jeito nenhum).

- Links: Procurei resenhas em Inglês sobre o livro, mas não encontrei. (Sabe a bobagem editorial que falei ali em cima? Pois é, não deram o devido destaque ao lançamento. Não me peçam para falar o que eu realmente gostaria sobre isso.) Em Português, o Shoujo Café fez um post comentado – com todos os spoilers (ótimo para quem já tiver lido o livro). Além disso, fica a dica para ler o site da autora; as avaliações no Goodreads  e um post do Heroes and Heartbreakers sobre a carreira da Deborah Simmons. E os outros livros dela (e várias tietagens explícitas) no Literatura de Mulherzinha.

- E para comemorar que a série está completa, está entre as minhas metas de vida refazer – em posts separados – as resenhas sobre os seis primeiros livros da série.

Família de Burgh - Deborah Simmons:

1. O Lobo DomadoTaming the Wolf (1995) – Marion Warenne e Dunstan de Burgh
2. O Anel de NoivadoThe de Burgh Bride (1998) – Elene Fitzhugh e Geoffrey de Burgh
3. Coração de GuerreiraRobber Bride (1999) – Bethia Burnel e Simon de Burgh
4. Uma visita inesperadaThe Unexpected Guess (1999) – Joy Thorncombe e Fawke de Burgh, conde de Campion
5. Um Lorde para AmarMy Lord de Burgh (2000) – Brighid l’Estrange e Stephen de Burgh
6. A Noviça de BurghMy Lady de Burgh (2001) – Sybil e Robin de Burgh
7. O Cavaleiro NegroThe Dark Night (2009) – Sabina Sexton e Reynold de Burgh
8. O Último de BurghThe Last de Burgh (2013) – Emily Montbard e Nicholas de Burgh

Meus livros. Fora de ordem só pra manter o equilíbrio na foto ;)

Comentei sobre eles nos primórdios do LdM (eles são o Cap. 12!!!)  e apenas Reynold e Nicholas possuem posts detalhados. Assim, tenho a desculpa perfeita para reler toda a série :).  

- E eu queria terminar este post agradecendo à Deborah por ter criado uma das famílias mais fascinantes de todas as histórias que já li. Foi muito legal conhecer a sabedoria de Campion, a liderança de Dunstan, a inteligência de Geoffrey, a coragem de Bethia (sim, sou mais fã dela que do Simon hahaha), as incertezas de Stephen, ver Robin metendo os pés pelas mãos, saber que Reynold se tornou um príncipe de conto de fadas e ver Nicholas adulto. Saber que eles encontraram companheiras tão perfeitas para cada um. Ler a felicidade deles me fez um pouco feliz também.

Bacci!!!

Beta
Reações:

5 comentários :

  1. =D Parabens pelo marco!!! Adoro o LdM, passei muitas madrugadas aqui pesquisando sobre Diana Palmer, foi o primeiro blog do genero q conheci e me apaixonei, rs.
    Sobre a resenha como vc mesma supos, sou uma das que ficaram um pouco sem entender, mas tenho certeza de q vou amar qdo ler. QUERO MTO Ver Nicholas adulto. Pena q esgotou no site e a única banca da minha cidade é bem ingrata!
    bjs Sabrina

    ResponderExcluir
  2. Oi, vou precisar ler para poder entender melhor a resenha. O último de Burgh está na minha pilha para ler, só não passei ele na frente, pois estava louca para terminar os três sheiks da Olivia Gates. Assim que terminar será a minha leitura. Também ainda vou ler todos os livros novamente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Beta!

    Realmente essa é uma das melhores familias que já tive o prazer de ler.

    E estou bem ansiosa por ler esse livro... amei a resenha e me deu muitas ideias.

    Parabéns pelo marco, pelo blog.

    E infinitamente obrigado por nos presentear com um blog tão completo e com resenhas que fazem a diferença.

    Até a próxima!
    Mara

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. ZEUS: vocês erraram todas suas hipóteses ?! Hihihi ... ^^ Eu espero ter algumas surpresas certas ao ler este romance, como saber quantos filhos cada um tem !


    Zicas entre sua mãe e você competindo pelas leituras de seus livros são hilárias e ótimas !!! Madre Hooligan é uma graça !!! ^^ Você tem muita sorte, tracinha.


    Mas como assim DISPENSARAM Deborah Simmons ?! O que aquele pessoal colocava em seu café ?! EXCELENTE esta série ter visto seu final sendo assim ! UFA !!!


    Oh, eu gostei de Emery sem conhecer, renovando meu bem-querer por Nicholas, que nunca superará Geoffrey em meu coração. Segundo lugar honroso para Fawke.


    Eu tenho certeza de que terminarei chorando feito uma condenada ao terminar de ler esta série. Eu tenho esse romance. Falta ler. Mas eu não queria que terminasse !


    Tomara que haja bastante participação significativa de cada De Burgh nesse romance !!! Eu tenho muitas sudades de cada um de todos eles !!! Queridos !!!


    Parabéns pelos oito anos de blogg (com dois gês mesmo !!!) e pelos setecentos posts ao final de seu Abril Imperdível. Uma peninha homérica haver terminado !


    Todo meu apoio para sua decisão de refazer sua leitura e suas postagens desses oito tesouros medievais ! Que tal refazer Nicholas e Reynold também ? ^^

    ResponderExcluir