quarta-feira, abril 10, 2013

Ciao!!!





Imagina se eu faria uma semana das autoras que eu adoro sem a Lori Foster. Ela é uma das minhas favoritas. E isso significa: se consigo livros dela, passo na frente e leio. Simples assim.

Ultrajante – Lori Foster – Rainhas do Romance 71
(Outrageous – 1997 – Harlequin Temptation)
Personagens: Emily Cooper e Judd Saunders

Emily se meteu a vingadora para tentar desmarcarar um grupo envolvido com a venda de armas. E acabou interferindo em uma investigação policial que tinha o mesmo alvo, mas outros métodos. Infiltrado no ambiente, fazendo o possível para ser aceito na gangue. Só que o instinto protetor falou muito mais alto e ele salvou a criatura de uma confusão… para se ver enrolado em uma garota que era pura encrenca.

Comentários:

-  Pai amado, Emily é uma ameaça ambulante. Por mais boas intenções que ela tenha (aliás, as intenções dela são ótimas), cá entre nós, ela não tinha o treinamento necessário para se envolver com uma gangue barra pesada dessas, achar que vai prender todo mundo e escapar como se fosse uma das Panteras. A fé dela chega a ser comovente. E enervante. Eu sei que muitas pessoas duvidam da lei. A gente vê isso na vida real e nos livros, como a burocracia atrasa, atrapalha e impede a solução de crimes, mas daí a entrar no mode justiceira e sair por aí coletando provas é um pouco demais, né?

- Ainda mais porque HÁ uma investigação em andamento e em um estágio avançado: um policial infiltrado no ambiente tentando se enturmar e entrar para o grupo. Judd tinha interesses pessoais no caso e só a vontade de ver a justiça ser feita e participar disso. Portanto, eram o que o motivava a entrar no disfarce: stripper em um clube de mulheres. Sim, foi isso que você leu (e aposto que, quem viu a novela De Corpo e Alma até ouviu a trilha sonora – e não, eu não vi Magic Mike – sem contar que é melhor opção que Ou Tudo ou Nada…): Lori atiça as nossas mentes com um policial gostosão fazendo striptease fantasiado de… policial! (e atire a primeira pedra se você não pensou no Morgan fazendo isso)

-  Então temos duas criaturas muito diferentes, com um objetivo comum. Ele descobre o que ela quer, mas não revela de cara o que está fazendo (o que garante um drama mais à frente).E há uma química entre eles – do tipo que derrete a calota polar. Outro padrão Lori Foster: homens que fazem a gente virar patê feliz da vida. Só que temos uma mocinha traumatizada: uma escolha infeliz anteriormente a fez ser menosprezada ad infinitum pela família, que só exige a perfeição e as aparências (e é o que justamente a empurra para essa “fase Pollyanna quer fazer justiça com as próprias mãos”). Portanto, coisa demais para resolver. Mas como sempre, temos uma dupla (embora eu tenha gostado mais dele que dela) que faz valer a pena. E é uma leitura rápida, apesar de estar em um Rainhas do Romance. Digamos que seja uma Sessão da Tarde da autora, e a gente adora!!!


Bacci!!!

Beta 

ps.: E se quiser provas de como a autora é ótima, aqui ao lado, tem o deguste do 1º Capítulo de Mergulho para o Amor do lançamento de abril da Harlequin Brasil. ´bora ler?
Reações:

Um comentário :