terça-feira, abril 09, 2013

Ciao!!! 






Faz tempo que a Julia James não aparece aqui. Culpa minha. Não é por falta de livro, mas por desleixo meu. E olha que eu gosto do estilo dela. Agora que estou colocando a casa em dia, remexendo nas caixas e nas pilhas, achei esse que é especialidade da autora: protagonistas que vão quebrar a cara. #Adoro!

Doce Conquista – Julia James – Jessica 2 Histórias 136 (Teias da Paixão)
(His penniless beauty – 2010 – Mills & Boon Moder Romance)
Personagens: Sophie Granton e Nikos Kazandros

Nikos reencontrou Sophie em uma situação inacreditável – trabalhando como acompanhante de homens ricos. Para ele, uma vida desregrada estavam cobrando o preço de uma garota que sempre foi mimada e protegida pelo pai. Sophie precisava de dinheiro e não estava em posição de recusar as propostas que não ofendessem a sua dignidade. Reencontrar Nikos não estava previsto. Que ele ficasse no pé dela, muito menos. O problema seria saber o que ele ia querer em troca da ajuda…

Comentários:

- Sophie estava comendo o pão que os credores amassaram – e por ter sido sempre protegida da vida, uma herdeira que não precisava fazer nada além de estudar e ser feliz, não soube detectar e resolver o problema a tempo. Mas a maré tinha virado brutalmente e agora ela sentia falta de ter experiência de trabalho, para poder se candidatar a postos melhores no mercado. Por isso, se contentava com qualquer oferta e pensou que fosse seguro sair como acompanhante de um ricaço grego. E terminou a noite correndo dele e do que ele estava oferecendo…

- Nikos a encontrou na sarjeta e ficou apavorado, por ver o que ela havia se tornado e por imaginar como isso o afetava. A desculpa oficial é que se a imprensa sensacionalista a descobrisse, acabaria chegando nele. É que 4 anos antes, eles estiveram quase noivos, mas uma frase mal falada causou o desentendimento – ela era inocente demais (e em um mundo cínico como o que vivemos, uma pessoa assim é um perigo para si mesma e para os outros) e ele desconfiado demais (com uma certa razão. Mulheres mercenárias disfarçadas de santinha não são apenas ficção). O fato é que ele conclui fatos sobre ela e, mesmo jogando na cara, decide ajudar. E ela recusa, por orgulho ferido, pela humilhação sofrida antes. Acontece o de sempre: por mais que as evidências berrem o contrário, berrem que há algo muito errado, ele se prende às conclusões e só uma grande descoberta o fará encaixar corretamente as peças do quebra-cabeça.

- Eu gosto do estilo da autora – ela consegue escrever o padrão antigo: homem dominador x mocinha indefesa à mercê dele, mas sem o perdão relâmpago e o final feliz a jato. O perdão acontece, mas a gente vê a redenção da criatura, ou pelo menos, momento de vergonha extrema de existir. Isso me faz sentir muito bem, meu eu escorpiano vingador agradece. Neste caso, a falta de comunicação dos protagonistas causa uma série de confusões e o orgulho de ambos atrapalha na solução: ela em admitir que precisa de ajuda e contar o motivo e ele em descer do pedestal de onde a julga e procurar entendê-la. Não há nada doce aqui - digamos que, para chegar na parte doce, há muito amargo para ser superado e resolvido antes...

- Links: Goodreads; Fantastic Fiction; Emoções à flor da pele, da Luna e da Mônica; outros livros da autora no LdM.

Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :