sábado, outubro 27, 2012

Ciao!!!


Capas – Romances in Pink

Mais um livro da série Wherlocke-Vaughn. E aqui, finalmente tive que dar razão aos vários comentários que li em outros blogs: levei MESES pra terminá-lo. Quer saber o por quê?

A Intuitiva – Hannah Howell – Lua de Papel
(If He's Wild - 2010)
Personagens: Althea Vaughn Channing e Hartley Greville, marquês de Redgrave

Althea saiu de sua vida tranquila para salvar a vida de um homem que ela nem conhecia. E se envolveu em uma situação da qual nem seus dons poderiam salvá-la. O mais difícil ela conseguiu: convencer Hartley que a amante queria matá-lo assim que conseguisse segredos que pudesse vender para os franceses. Só que se colocou no caminho da mulher que não hesitava em matar. E se está achando pouco, Althea ainda tinha que lidar com a atração que sentiu por Hartley e que era correspondida. Mas não haveria chance de futuro para eles, a menos que desmascarassem a verdadeira culpada.

Comentários:

- Pelo que vi nos blogs de quem está lendo esta série desde o início, vi várias reclamações de que os livros eram arrastados e difíceis de ler. Até então, não havia sentido isso e cheguei até a gostar muito do segundo livro da série, A Sensitiva (o motivo foi a Toca Wherlocke, que me lembrou muito da mansão do professor Xavier, do X-Men). Portanto, minha expectativa era ter esse clima de volta aqui. Ok, não teve. Que início arrastado. Sabe quando parece que a história anda, anda, anda e não sai do lugar? Foi a sensação que tive aqui. Tanto que larguei o livro e voltei a lê-lo meses depois, disposta a colocar este post no Halloween.

- Desde sempre Alethea tem sonhos com um homem, que, recentemente, se tornaram presságios da morte brutal dele. Determinada a impedir, ela viaja com o primo Iago para Londres, disposta a encontrar o homem – lorde Hartley, o marquês de Redgrave – e avisá-lo para que seja possível mudar o destino. Ela não sabia que ele estava envolvido em espionagem e em contraespionagem, que ocorria nos bastidores das relações políticas entre Inglaterra e França. Para isso, Hartlety estava em um jogo de sedução com uma francesa, Claudete, que frequentava a sociedade londrina em busca de amantes poderosos. Embora assustado com as revelações de Alethea, ele se vê acreditando nela. E tenta reformular os planos, sem suspender a investigação em andamento. E a chegada da intuitiva ainda o ajuda a desvendar um mistério sobre o que teria acontecido com a família dele na França. E fica essa lenga-lenga toda por vários capítulos, com descrição demais e diálogo de menos (pro meu gosto, prefiro narrações mais equilibradas). Será que Hartley achará os parentes vivos? Será que Claudete vai conseguir se vingar de Alethea por ter perdido o amante? Será que vão conseguir desmascarar a culpada? Foi neste ponto que eu parei para pensar na vida e ler outros livros.

- Meses depois, sem reler o que eu já tinha lido, retomei o livro. E não é que, muitos resmungos depois, ele ficou legal. Deve ser porque finalmente as coisas começaram a acontecer! O círculo foi se fechando até chegar ao ponto crítico de: ok, agora vai ou racha! Sem contar, que surgem os parentes de Alethea, inclusive as protagonistas dos livros anteriores e todos os primos da face da terra. Já saiu o livro do Argus e ele está aqui em casa, ainda na pilha, pagando o preço da impressão mais ou menos que este deixou. Gostaria muito de ter visto uma história para Modred, aquele que tem o dom considerado o pior de todos. Mas uma trama onde as coisas aconteçam antes de me matar de tédio.

Família Wherlocke-Vaughn — Hannah Howell

1. A Vidente - (If He's Wicked) — Chloe Wherlocke & Julian Kenwood
2. A Sensitiva (If He's Sinful) — Penelope Wherlocke & Ashton Radmoor
3. A Intuitiva (If He's Wild) — Althea Vaughn Channing & Hartley Greville
4. O Escolhido (If He's Dangerous) — Argus Wherlocke & Lorelei Sundun

- Vale visitar o site da autora, o The Romance Reader, no Goodreads, no Long and Short Review
e o Fantastic Fiction para mais informações. tem post sobre o livro no Romances in Pink; Nat, do Menina da Bahia; A Lady D’Arques. E no LdM, pode verificar meus pitacos sobre a Saga das Terras Altas.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Ah, eu tenho "A Vidente", "A Sensitiva", "A Intuitiva", que estão em minha lista de leitura de Hannah Howell, mas falta completar meu quarteto com "O Escolhido". Eu nunca fiquei desapontada com Hannah Howell, então espero não ter desapontamentos com ela agora.

    ResponderExcluir
  2. Não tive nem coragem de comprar o último. Só numa mega promoção,mesmo e ainda assim vai lá pro fim da pilha.

    Aliás, só será adquirido em consideração a Hannah Howell pelo conjunto da obra.

    Foram pegar logo a série mais chata prá publicar em formato livraria com tanta coisa boa que ela escreveu????? Aff..

    Beijos!

    ResponderExcluir