sábado, agosto 11, 2012

Ciao!!!



PAI AMADO! Foi uma das coisas que eu cansei de dizer durante a leitura. Disse algumas outras também, mas acho que esta é a que resume melhor.

Dama de Copas – Carole Mortimer - Harlequin Históricos 96 (As Irmãs Copeland 1/3)
(The Lady Gambles – 2011 – Mills & Boon Historical Romance)
Personagens: Lady Caroline Copeland e lorde Dominic Vaughn

Dominic ganhou uma casa de jogos em uma aposta e queria melhorar o local. Por isso mandou acabar com o bordel que funcionava ali e que todas as mulheres fossem embora. E quando voltou, descobriu que a ordem não tinha sido totalmente cumprida. Havia uma cantora mascarada hipnotizando todos os homens. Ao cobrar explicações, se deparou com uma criatura tão fascinante quanto teimosa e incontrolável. E a partir daí, além de lidar com a atração entre eles, teriam que se proteger e combater uma ameaça que poderia ser mortal.

Comentários:

- Olha, não tenho o que criticar sobre o herói do livro. Lorde Dominic Vaughn é um homem com marcas – além da cicatriz no rosto, possui algumas na alma. Por conta de uma adolescência solitária (por causa da morte precoce dos pais), encontrou uma família em dois amigos de escola: Gabriel e Nathaniel. Juntos, eles lutaram na guerra. Agora, estavam se restabelecendo na sociedade (bem, não todos, mas isso é assunto para outro livro). No caso de Dominic, o primeiro passo para perder o controle da vida foi quando ele desafiou e venceu Nicholas Brown, um homem de origem e atitudes duvidosas, nas cartas. E tirou a “menina dos olhos dele”: a casa de jogos e diversões Nick’s. Claro que isso não ficaria impune, né? A única mudança em relação a gestão anterior foi que Dominic fechou o bordel e não queria mulheres no local. Ao voltar de viagem, descobriu que a ordem tinha sido desobedecida, porque a cantora mascarada de cabelos cor de ébano atraía a atenção e despertava o desejo em todos os clientes. Então, o pobre do Dominic tomou outra decisão que viraria a vida dele do avesso: cuidar pessoalmente da cantora Caro Morton, já que seus homens de confiança estavam hipnotizados por ela – algo que não aconteceria com ele.

- Caro Morton era linda, desafiadora e um mistério. Tinha modos de uma lady, mas não se vestia como uma. Dizia ter viajado para Londres após a morte de uma tia solteirona e, como não tinha referências para trabalhar como dama de companhia, acabou pedindo emprego nas casas de jogos. E a Nick’s foi a única onde não fizeram propostas indecorosas para ela. Escondia quem era de verdade sob a peruca de cor de ébano e com a máscara que deixava apenas os olhos e a boca à mostra. Achou que Dominic era apenas mais um nobre abusado que estava confundido cantora com outro tipo de entretenimento. Até perceber que ele era o dono do local, não a queria ali e estava tão fascinado por ela quanto ela por ele.

- Até aí, nenhum problema, né? Já tivemos vários livros, tanto históricos quanto contemporâneos, onde o choque entre personagens com personalidades fortes rendem faíscas que animam o livro inteiro. Então, onde está o motivo do PAI AMADO! repetido indiscriminadamente ao longo da leitura? Simples, vamos ao prólogo, que relata a conversa dos três amigos – Dominic, Nathaniel e Gabriel, em Veneza, onde o último estava exilado e os outros dois tinham ido visitá-lo. Gabriel comunica que estava planejando voltar, já que havia herdado um título e, com ele, três jovens tuteladas que viveram toda a vida no campo, protegidas pelo pai, do escândalo causado pela mãe (que era incrivelmente linda e abandonou a família para fugir com um amante). Para facilitar as coisas, ele enviara uma carta dizendo que gostaria de se casar com qualquer uma das três irmãs, já que estava com 28 anos e era hora de formar uma família. Ok, pode não ter sido a mais romântica das propostas, mas sabemos que casamento por conveniência era algo comum.

- Pois bem, agora imagina que você é uma das irmãs que recebeu esta notícia: “nosso guardião está voltando e quer se casar com uma de nós”. O que você faria? Negaria a proposta? Esperaria o guardião chegar para tentarem um acordo? Ou simplesmente faria as malas, largaria a bomba nas mãos das irmãs e fugiria para uma vida de aventuras em Londres? Pois é, adivinha o que Caro Morton, ou, se preferirem, lady Caroline Copeland, a segunda das três tuteladas de Gabriel fez...? Naquela mente brilhante, não viu problema em fazer as malinhas, pegar o dinheiro do cofrinho e ir para Londres. Afinal de contas, na cabeça dela, Londres deveria ser igualzinha à Villa Hobbit, com tranquilidade, serenidade, amor, respeito entre os vizinhos. Ela só não se meteu em enrascada maior porque a autora deve gostar dela. Só por isso. Isso não caiu bem pra mim porque me solidarizo com a irmã mais velha, Diana, que deve ser a que vai descascar o abacaxi do guardião (já que temos uma pista/suspeita do que a irmã caçula, Elizabeth, resolveu aprontar) – ou seja, primogênitos se dando mal desde o tempo bíblico (alguém lembra qual foi a última das pragas que atingiram o Egito? Pois é, filhos mais velhos, temos sofrido!). Em alguns momentos do livro, ela teve saudades das irmãs, mas alegava para si mesmo que tomou a melhor decisão em fugir de casa e que voltaria quando tudo tivesse resolvido. Oi? Bonita, essa curica, né?

- Ok, já estava olhando torto, tortíssimo para a protagonista. Mas vai que ela se mostra uma pessoa legal e eu reconsidere minha ideia... Que nada! O temperamento forte é apenas uma parte de uma protagonista imprudente, chatinha, que muitas vezes se comporta como a criança que diz não querer ser tratada. Haja paciência. Os inúmeros PAI AMADO!, na verdade, de certo ponto em diante eram: COITADO DO DOMINIC. O que ele fez para merecer essa dona encrenca na vida? Porque à medida que o perigo aumenta, ele a quer colocar fora da zona de risco e adivinha o que ela faz? Exatamente, “sou independente, não suporto autoridade, nem que me dê ordem, faço o que quero!”. Confesso que, no fim, eu já estava assim: “de onde essa criatura saiu? Da Terra do Querido Pônei?” E tive meu momento fim total da paciência escorpiana – porque chegou um ponto que nem o PAI AMADO! e o COITADO DO DOMINIC! deram conta, só restou o MORRE, CONDENADA, PRA DEIXAR DE SER BESTA!!! Claro que ela não morre. Bem, se serve de consolo, com uma parceira desta o Dominic está perdoado de qualquer pecado e terá vaga VIP no céu. Só espero que as outras irmãs sejam melhores para os respectivos pobres coitados parceiros. Se não vou culpar o pai delas que se esqueceu de trancá-las e jogar a chave fora antes de morrer.

- Linkitos: sobre a autora no site em Inglês da Harlequin e no Fantastic Fiction. Sobre o livro no Goodreads, no Fantastic Fiction, no Fiction DB e no Love Saves the World.

Eis a série Copeland Sisters/ As irmãs Copeland:

Dama de Copas - The Lady Gambles (2011)
Dama de Ouro - The Lady Forfeits (2011)
Dama de Espadas - The Lady Confesses (2011).

Bacci!!!

Beta
Reações:

14 comentários :

  1. Gente, que com uma mocinha assim dá vontade de jogá-la pela janela, rs.... Detesto qndo a mocinha é cabeça-dura demais, ao ponto da burrice. Afff..... Pra evitar raivas, vou passar longe dessa aí, hehe!!!

    =)

    ResponderExcluir
  2. Quer dizer, independente, de personalidade forte, nesse caso são sinônimos de burrice. Afff! Além de tudo, é covarde, deixa as irmãs para resolverem os problemas sozinhas.

    Beta, achei os poucos livros históricos da CM que li umas drogas, cheios de personagens sem-graça e irritantes. Esse nem li, e nem quero! kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk'
    Acho que meu sexto sentido estava certo ao me desviar desse livro na Banca... por pouco, muitoo pouco não o comprei.
    Adorei a resenha Beta, divertidíssima :)

    Beijocas :*

    ResponderExcluir
  4. "MORRE, CONDENADA, PRA DEIXAR DE SER BESTA!!!"

    Depois dessa não me arrependo nem um pouco por não ter comprado essa bomba. Achei a sinopse idiota demais e passei batida. Ainda bem!!!!!

    Prá passar raiva com mocinha besta já chega a Diana Palmer! kkkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Tem três volumes nessa história e tudo porque eu disse que seriam quatro irmãs provavelmente porque tem quatro naipes de baralho ? BOLAS !!! Mas eu irei pela contra-mão de novo: interessei-me pela história (porque aquela sinopse de banca é mesmo uma droga !) com essa resenha. Tudo por causa de Dominic !!! ^^ Se bem que eu quero conhecer Gabriel e Nathaniel também !!! ^^ FOFOS !!! ^^ (hihihi)

    ResponderExcluir
  6. Suelen,

    Fora todas as burrices que ela comete - que a gente volta e meia vê alguma criatura fazendo - o que me irritou mesmo foi dar as costas para a irmã quando a bomba estourou. E ainda ficar posando de "estou preocupada com ela", ah tá. Odiei a mocinha, foi muito mais forte que eu. Queria que ela fosse castigada à altura, mas fiquei sem esse gostinho...

    Bacci!!!

    Beta

    ResponderExcluir
  7. Lidy

    Engraçado, esperava mais da Carole Mortimer porque peguei este livro por causa dela. Mas a Caroline me desanimou totalmente. Merecia uns tabefes para deixar de ser tão "eu eu eu". Até hoje, quando vejo a capa, tenho pena do Dominic.

    Bacci!!!

    Beta

    ResponderExcluir
  8. Ly

    Acho que não teria me revoltado tanto se ela não tivesse pulado do barco e largado a bomba pra irmã mais velha resolver. Isso me fez totalmente solidária à primogênita das Copeland.
    Agora que comecei, vou terminar a série. Espero não ter que lidar com nada pior que o egoísmo da Caroline daqui pra frente.

    Bacci!!!

    Beta

    ResponderExcluir
  9. Andrea

    Olha que quase senti vontade de entregar a Caroline pro Avassalador, só pra eu poder jogar apenas um livro pela janela. E salvar o Dominic de ir junto porque o coitado não merece.
    Se quiser, mando pra você. Serve para desestressar - ou concentrar a raiva de algo na mocinha egoísta.

    Bacci!!!

    Beta

    ResponderExcluir
  10. Sil,

    Não se recrimine, você foi levada ao engano pela tradução. Porque os títulos originais nada tem a ver com os naipes do baralho. E creio que a próxima se chamará Dama de Espadas, porque a outra opção talvez não pegasse tão bem... kkk
    O Dominic é muito legal, se não fosse as antices excessivas da Caroline, daria pra gostar mais do livro só por causa dele.

    Bacci!!!

    Beta

    ResponderExcluir
  11. Quase que eu comprei! Será que eu compro, rsrsrs. Sei não!
    bjus

    ResponderExcluir
  12. Oi,

    Eu vi entre os lançamentos da Harlequim para outubro o 3º livro dessa série (Dama de ESpadas) gostei da sinopse e acrescentei-o a minha lista de desejados do Skoob. Então minha amiga Ialy me indicou seu blog para ler suas resenhas dos 2 primeiros livros da série. E tenho que dizer que adorei sua resenha! Ri bastante aqui com os seus "PAI AMADO!" e "MORRE, CONDENADA, PRA DEIXAR DE SER BESTA!!!". hahahaha.

    Gostei muito da sua escrita e vou seguir o blog!
    ^-^

    PS: Tenho um blog também, se tiver interesse passa lá?
    http://entrelivroserabiscos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Um comentário muito gentil de sua parte, Beta. Oh, muito obrigada ! ^^ Eu preciso revirar cantinhos pela cidade para conseguir encontrar esses livros - por causa desses rapazes, principalmente Dominic. ^^

    ResponderExcluir
  14. KKKK...adorei os seus comentários sobre a mocinha, realmente ela consegue ser muito burra tem hora, e coitado do Dominic vive lhe tirando de confusões, mais eu gostei de ler o livro achei que Carole Mortimer, consegue escrever muito bem os clássicos históricos e história consegue nos empolgar, valeu apena ler o livro, se alguém quiser é so baixar pelo meu blog http://bancadelivrosonline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir