sábado, abril 02, 2011


Livro globalizado: australiana conhece nobre milionário italiano e a vida dela vira do avesso. Quase dois anos mais tarde, ele ressurge cobrando explicações e dando ordens... Acho que vocês têm 70% de chances de descobrir o que acontece na história...

Baile de Máscaras – Annie West – Paixão 197 (Chantagem de Amor)
(Forgotten mistress, secret love-child, 2009, Mills & Boom Modern Romance)
Personagens: Carys Wells e Alessandro Mattani

O pior pesadelo de Carys estava se realizando: Alessandro ressurgira do seu passado, com força total, parecendo não se lembrar do que havia acontecido... E exigindo resolver a forte atração entre eles! Carys entrara em pânico sendo pressionada e chantageada e acabou revelando a existência do pequeno Léo, o filho que ele não sabia que havia rejeitado. Alessandro tinha perdido a memória e parentes mantiveram o relacionamento com Carys em segredo. Agora ele queria recuperar o tempo perdido, nem que fosse necessária uma medida extrema como o casamento...

Comentários:

- Acho que vou lançar uma campanha: por favor, me indiquem livros com italianos que fujam do padrão – herói milionário que descobre que teve filho com a ex-amante e a chantageia com a ameaça de tomar a guarda da criança, obriga a criatura a casar para descobrir que estava errado e não era digno dela. Por mais bem escrita que a história seja, para quem já leu tanto livros do gênero como eu, fica repetitiva. Daqui a pouco, vou começar a desconfiar que tem autora dando ctrl + C + ctrl + V e repetindo diálogos com pequenas alterações para produzir mais rápido. E cá entre nós, para cada milionário que ameaça tomar a guarda de criança, deve existir algum advogado capaz de provar a chantagem na Justiça e evitar que decisões sejam tomadas sob pressão (o que agravou a situação da heroína neste livro).

- Neste livro, apesar do padrão que eu contei ali em cima, há uma diferença: Alessandro perdeu a memória. Não se lembra de nada do período em que esteve envolvido com Carys. Sabe que sente uma atração forte por ela e que a quer de qualquer jeito – e é aí que mora o problema. Ao se decidir pelo “qualquer jeito”, ele se impõe, ameaça, chantageia, critica, tira conclusões precipitadas e ainda tem a audácia de ficar chateado e irritado porque ela se sente no direito de não confiar nele, apesar da atração que sente por ele.

- Carys é patinho feio também. Era a filha menos brilhante de uma família onde era cobrada a perfeição – e não porque era “burra” ou “lenta”, tinha motivos para isso e faltou compreensão de quem deveria apóia-la. Ela se apaixonou por um nobre milionário, mas sentiu o peso de não se ajustar à nobreza (afinal de contas, sempre tem alguém que fica lembrando) e voltou para a casa, em Melbourne, para criar o filho. Mas o destino bateu à porta do seu emprego: durante um baile, no hotel onde trabalhava, Alessandro a viu, sentiu atração por ela e desencadeou todo o processo de mexer no passado. E daí, ela teve que lidar com todas as conseqüências, sabendo que corria o risco de ser uma “eterna segundo plano”, indigna de ser condessa e de sofrer porque, claro, ela ainda o ama (apesar de negar isso para si mesma).

- E quem quiser saber mais, visite o site oficial de Annie West.

- A propósito: acho que meu pedido – de livro com herói italiano que saia do padrão mais-do-mesmo - foi atendido: Herança do Amor, de Lucy Gordon. Poderiam seguir este exemplo, né?

Bacci!!!

Beta
Reações:

6 comentários :

  1. Herança do Amor é realmente ótimo *-* Foi meu primeiro livro da série Baby on Board e depois não parei mais de comprar os outros que vão lançando x)

    Ótima resenha Beta \o/ E como também sou apaixonada pela Itália, sempre passo por aqui para pegar dicas de lvros com mocinhos italianos :D

    :*

    ResponderExcluir
  2. Já li vááárias histórias nesse estilo. Realmente, depois de um tempo cansa um pouco mesmo. Mas continuo lendo xD

    teh mais

    ResponderExcluir
  3. Beta,

    Você está reclamando de barriga cheia! Tem outro italiano fora do padrão que você já resenhou aqui: é o Vicenzo, do livro Nosso Amor da Rebecca Winters!

    Prá mim, o melhor italiano civilizado do mundo e ainda por cima Siciliano!!!!

    Amei de paixão esse livro e estou pleiteando uma retificação incluindo este belo exemplar da espécie no corpo da resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Italianos ! (hihihi ...) Minha família está repleta de italianos ! Todos loucos ! ^^

    ResponderExcluir
  5. Estou passando essas histórias, não aguento mais o mesmo mote do mesmo jeito... precisam inovar um pouco!

    ResponderExcluir
  6. Olha Beta,

    Já estou tão cansada quanto tu deste tipo de livro heroi-que-abandona-bobinha-que-engravida-e-é-chantageada-para-se-casar. Quero emoções, ciúmes, herói-extremamente-apaixonado-por-heroína-que-não-dá-a-mínima

    ResponderExcluir