segunda-feira, abril 05, 2010

Dois irmãos gêmeos gregos. Igualmente teimosos, arrogantes e convictos de que são o centro do universo. E ai de quem não concorde com estas últimas maravilhas do deserto do Saara. Duas pobres almas se candidataram a quebrar essa bolha de cristal Swarowsky onde os dois bonitinhos e ordinários vivem. Quem quiser conhecer a jornada de Rebecca e Alice rumo à santidade, basta ler esta série da Sharon Kendrick.

Desejo sem fim – Sharon Kendrick – Paixão 118
(The greek tycoon’s baby bargain – 2008 – Mills & Boon Modern)
Personagens: Rebecca Gibbs e Alexandros Pavlidis

Rebecca era a amante inglesa do bilionário grego e ele sempre conseguia anulá-la, por mais que tentasse se afirmar enquanto ser humano. Ela devia seguir o óbvio: ele era o centro da vida dela, a razão dela viver e respirar. Para que emprego, para que independência se era muito mais fácil que ela vivesse para agradá-lo, enquanto ele quisesse, óbvio... Só que Rebecca se cansa disso e sabendo que irá sofrer, mais cedo ou mais tarde, prefere sair de cena. Xandros foi surpreendido duas vezes: primeiro quando ela ousara terminar o caso com ele. Segundo quando ela atravessara um oceano para contar que ele seria pai de gêmeos. Agora ele estava confuso, porque ela não queria nada dele: nem dinheiro nem casamento. Afinal de contas, o mais importante que ela e os filhos gostariam de ter era profundo demais para ser compreendido pelo homem que tinha tudo...

Comentários:

- Possuídas por dois irmãos gregos bilionários como esposas e como amantes... Xandros era um solitário com mania de controle. Tivera péssimo relacionamento com o irmão gêmeo e saíra da ilha onde eles cresceram porque os dois não poderiam controlá-la (o que já dá uma pista do temperamento de ambos, não sabem nem dividir com parente de sangue!). Ele vê a aeromoça Rebecca, decide que ela será sua amante e faz de tudo para vencer a resistência dela. Quando consegue convencê-la a ceder, não quer que ela faça mais nada a não ser esperar por ele, para fazer o que ele quiser, quando quiser e como quiser. Não se importa com a reviravolta e com o impacto que causa na vida dela. E quando Rebecca percebe que não terá futuro e toma a iniciativa de terminar o relacionamento, ele fica irritado. Quando Rebecca ressurge em sua vida para contar que está grávida, ele fica passado, chocado e oferece dinheiro para sustentar, mas garante que não vai casar com ela. Depois fica irritado por se sentir excluído e quando os bebês nascem, resolve tomar o controle de novo e, sem pedir permissão, decide que fará parte da vida do “clube do qual não faz parte: Rebecca e os meninos” e apesar de tudo continua se sentindo excluído. Quando as coisas chegam ao limite, Xandros percebe que talvez os sentimentos dele tenham mudado e que ele precisava encarar a nova realidade se não quisesse continuar como começou a história: um solitário com mania de controle.

- Após o abandono da mãe (que não queria ficar trancafiada numa ilha com a atenção exclusiva nas exigências de duas crianças e um marido gregos.), eles começaram a se distanciar, o que resultou no rompimento quase definitivo – Kyros ficou comandando a ilha. Xandros ganhou o mundo e se tornou um arquiteto bilionário. Aqui temos a versão de Xandros para o desentendimento que separou os irmãos gêmeos – claro que, arrancada a fórceps e contragosto por Rebecca, que queria entender quem é esse homem que não sabe que “conviver” significa levar o outro em consideração.

Um amor do passado – Sharon Kendrick – Paixão 122
(The greek tycoon’s convenient wife – 2008 – Mills & Boon Modern)
Personagens: Alice e Kyros Pavlidis

Dez anos depois, Kyros estava de volta querendo revê-la. E Alice queria mostrar que tinha sobrevivido ao intenso caso dos dois que terminara de maneira seca: ela não servia para ser a esposa dele, que preferia uma moça de origem grega e de boa família. No entanto, o reencontro trouxe a inacreditável revelação para ele: ainda havia uma forte química entre os dois e ele não queria que outro homem se relacionasse com ela. Antes que se desse conta, Kyros propôs casamento e Alice aceitou. Só então ela entendeu que não estava vivendo exatamente um conto de fadas...

Comentários:

- Depois de ler este livro, reformulei um pouco a minha opinião sobre Alexandros – ele estava certo em fazer as malas e ganhar o mundo. Kyros é um chato, dominador, preconceituoso, arrogante, obtuso, com zero consideração pelos sentimentos dos outros – e de Alice, em especial.

- Tiveram um caso quando ela tinha 18 anos que ele terminou porque ela era ótima amante, passional, apaixonada, mas não era a boa virgem de família grega digna de ser a esposa dele. Dez anos depois, ele ressurge do além querendo um pouco de diversão. Até ser confrontado com seu instinto machista – outro homem não pode achar Alice bonita, outro homem não pode querer Alice, outro homem não pode ter Alice porque ela é sua... bem, eles não são casados, mas ela é sua. Ao perceber que ela não é tão “sua” assim, às favas com a virgem de família grega, ele intimou o casamento com a amante inglesa. Claro, nas condições dele: abandone tudo e siga-me já!

- Ah, detalhe: eles se conheceram estudantes universitários. Ela construiu uma carreira. Ela achou que ele era um empresário bem sucedido do ramo dos azeites e ele não desmentiu, pra que informar que ficou bilionário (óbvio)? E esse foi um dos “esquecimentos estratégicos” de Kyros, o que fez com que Alice logo, logo compreendesse que era quase um “móvel e utensílio” do ricaço grego, talvez com uma função específica que outros móveis e utensílios não seriam capazes de desempenhar a contento.

- Alice até tenta, mas não resiste ao charme do estúpido. É por essas e outras que meu eu escorpiano vai à loucura: eu tenho é autoestima! Não tenho vocação pra capacho de gente sem noção! Sinceramente, esse grego me estressou tanto com essa mente inversamente proporcional à enorme conta bancária, que eu mereço ser bem tratada pela minha próxima escolha literária.

Enfim, pra resumir, já li livros muito melhores e menos irritantes da Sharon Kendrick!

Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Excelente ! Eu adorei sua resenha ! Você escreve divertidamente de uma forma fenomenal !

    Eu adorei seu look novo ! Tomara eu não ser muito intragavel em meus comentarios em seu blog. Congratulacões ao seu mestrado !

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Linkei vocês lá no meu blog.
    Podem me dar uma força também?
    Bjinhu
    www.hotromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Você já leu livros melhores da SK? Poderia por favor me indicar algum?
    Eu nunca li nenhum em que a tal mocinha tenha um pingo de dignidade e o "mocinho" receba uma punição digna de tudo que faz a coitada passar.

    To passando longe dos livros dela, esse desejo sem fim foi minha última tentativa
    A impressão que eu tenho é que os homens nunca se apaixonam nos livros dela, eles simplesmente se conformam com uma situação e fazem o que tem de ser feito pra que tudo fique exatamente como eles querem.

    ResponderExcluir
  4. Seu blog é mara!!
    Eu pessoalmente achei os gemeos Pavlidis muito hot. Adoro esse ar de machão. Também sou escopiana e odeio capacho, mas quando leio o que faz ir a até o fim é a esperança de um chega pra lá das mocinhas. A hora que elas dizem para os mocinhos se tocar. Adoro. Acho que a Alice demorou muito pra dá um chega pra lá. Aff.

    ResponderExcluir